Angola Cables participa na 20ª edição da Futurecom

1533

Angola Cables, participa a partir desta Segunda-feira, na República Federativa do Brasil, na 20ª edição da Futurecom, o maior evento de Tecnologia e Telecomunicações da América Latina.

A multinacional de telecomunicações destaca-se entre os demais participantes,  devido a importância dos seus circuitos  no mapa mundial das telecomunicações, com destaque para o SACS, o primeiro sistema de cabos submarinos de fibra óptica que liga directamente África e a América.

O Director Executivo da Angola Cables, António Nunes, considera que o SACS trouxe um salto gigantesco na conectividade transatlântica e terá um impacto profundo na conectividade digital global, ao mesmo tempo que se espera acelerar a actividade comercial nos sectores das TICs e estimular as economias emergentes na América Latina e em África.

É sabido que, o   SACS oferece alta qualidade de serviço e melhor latência de até 60% em relação às opções actuais de roteamento. É um cabo que também contribui para reduções nos custos de tráfego de dados entre a América do Sul e a África e oferece economias para as operadoras que, por sua vez, podem ser repassadas aos usuários finais e clientes.

O SACS é detido e gerido em 100 por cento pela Angola Cables, concebido com uma tecnologia WDM coerente de 100 Gbps numa solução de ponta a ponta. Com quatro pares de fibra, oferece uma capacidade total de projecto de 40 Terabytes por segundo entre Luanda e Fortaleza (Brasil).

O Futurecom, o mais qualificado e abrangente encontro de Tecnologia, Telecomunicação, TI e Internet da América Latina. O evento combina um Congresso Internacional e uma área de exposição de soluções digitais com amplas oportunidades de networking e uma plataforma para construir e consolidar parcerias para autoridades, organizações, corporações, investidores (pequenas e médias empresas), empreendedores e inovadores. 

Nesta edição, o Congresso abordará três grandes blocos de temas: Ambiente de Novo Mercado, Hiperconectividade e Tecnologias Disruptivas.