Guerra na Ucrânia: Empresas de tecnologia se posicionam na guerra e impõem sanções a Rússia

1888

A fabricante sueca de equipamentos de telecomunicações Ericsson anunciou que vai suspender todos os seus negócios em território da Rússia.

À luz dos acontecimentos recentes e das sanções da União Europeia, a empresa suspenderá o seu negócio afetado com os clientes na Rússia por tempo indeterminado”, lê-se no comunicado da Ericsson partilhado pela Reuters.

De informar que os trabalhadores da empresa continuarão a ser pagos enquanto a Ericsson manter as suas operações suspensas no país, sem esquecer que a empresa tecnológica já havia interrompido a entregas de equipamentos a clientes na Rússia.

 

Apple baniu app do maior banco russo

Apple vai remover a aplicação oficial do Sberbank (considerado o maior banco russo) da sua App Store, revela a Nexta a partir da respetiva página de Twitter.

A empresa tomou esta decisão devido a sanções impostas à Rússia devido ao conflito na Ucrânia, medidas que tendem a ‘atacar’ a capacidade financeira do governo liderado por Putin.

Ao consultar a App Store é possível ver que ainda estão presentes apps do Sberbank em alguns países. Todavia, a versão da Rússia não parece estar disponível.

A app Sberbank já não se encontra disponível para download ou para atualizar devido a sanções. Continua a funcionar para quem já a tem instalada”, pode ler-se ainda na publicação da Nexta.

MAIS: Guerra na Ucrânia: Empresas de tecnologia se posicionam na guerra e impõem sanções a Rússia

Nokia anunciou que vai deixar a Rússia

Em comunicado, a fabricante de equipamentos de telecomunicações finlandesa, que já tinha suspendido as entregas à Rússia no início de março, anuncia agora “que deixará o mercado russo”.

A Rússia representou “menos de 2%” do faturamento da Nokia em 2021 e o grupo diz que está a manter a sua previsão financeira para 2022 “devido à forte procura em outras regiões”, de acordo com o comunicado.

Na segunda-feira, a sua concorrente sueca Ericsson anunciou que suspende indefinidamente as suas atividades na Rússia e que vai colocar os seus 600 funcionários em licença remunerada.

A saída das duas empresas europeias abre o caminho para a número um do mundo, a chinesa Huawei. Os três grupos de telecomunicações compartilham a maior parte do mercado de redes 4G e 5G em todo o mundo.

Centenas de empresas, principalmente ocidentais, anunciaram a suspensão das suas atividades ou a sua saída da Rússia desde a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro e da implementação de sanções significativas a Moscovo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui