[Moçambique] Advogada proibição de telemóveis nas escolas

1344

A Plataforma da Sociedade Civil em Manica (PLASOC) e a Organização Nacional dos Professores (ONP) advogam a proibição do uso de telemóvel em ambiente escolar. Considerando que este interfere, negativamente, no processo de ensino e aprendizagem, para além de afetar a qualidade de ensino.

Argumentaram que este meio reduz a concentração dos estudantes e dos professores que estão conectados com o mundo exterior, enquanto estão na sala de aula.

A proposta foi apresentada no decurso de um seminário de capacitação dos representantes das Zonas de Influência Pedagógica (ZIP), destinado à reflexão sobre o papel na formação contínua dos professores, com vista à melhoria do processo de ensino e aprendizagem.

Na ótica do coordenador para área de educação na PLASOC, Paulo Domingos, pesquisas mostraram que crianças e professores em algumas escolas primárias da Cidade de Chimoio, têm tido fraco aproveitamento pedagógico e desempenho, respetivamente, devido à influência negativa do telemóvel.

De acordo com a fonte, as ZIP são primordiais para a capacitação contínua dos professores e uma das questões que deve constar da sua agenda e garantir que haja pouca frequência de telemóveis nas salas de aula, uma vez que alguns docentes, embora tenham formação comprovada, acabam também por claudicar.

MAIS: Como proteger as crianças da tecnologia: Dicas e orientações para pais e responsáveis

Acrescentou que com o passar do tempo, alguns docentes perdem as habilidades por esquecimento e por falta de capacitação.

Por isso, Paulo Domingos espera que haja um compromisso por parte das coordenações das ZIP, que devem começar a promover atividades formativas, visando o treinamento contínuo do quadro docente com o objetivo de melhorar a qualidade de ensino no país.

Assubgy Faquirbay Ismael, representante da ONIP, em Manica, disse que um dos constrangimentos que este sector enfrenta tem a ver com o uso abusivo dos telemóveis nas salas de aula.

Para o representante dos professores em Manica, as ZIP não devem ficar apenas à espera que a ONP organize encontros de capacitação, devendo ser criativas e sugerir iniciativas próprias para a formação dos docentes.

Para além dos representantes das ZIP, participaram do evento, mandatários da ONP, dos centros de formação de professores da província de Manica e as associações que trabalham nesta área.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui