Quem é Jack Teixeira, o informático suspeito de revelar documentos confidenciais dos EUA?

2500

Aos 21 anos, Jack Teixeira foi detido por revelar documentos militares norte-americanos confidenciais num grupo na plataforma Discord, onde eram habituais conversas sobre Deus, guerras e armas. Teve acesso à informação enquanto membro da Guarda Aérea Nacional.

Conversas sobre guerras e videojogos, preferências de armas, piadas racistas e momentos de oração marcavam o grupo “Thug Shaker Central”, na plataforma Discord, onde Jack Teixeira partilhou documentos militares norte-americanos altamente confidenciais. O membro da Guarda Aérea Nacional de Massachusetts, nos Estados Unidos, detido na quinta-feira, tem 21 anos e é lusodescendente.

Os documentos divulgados revelam ações de espionagem dos Estados Unidos a aliados, inimigos e dados sensíveis dos serviços secretos militares sobre a guerra na Ucrânia. O jovem será acusado da subtração não autorizada de informações classificadas de defesa dos Estados Unidos, avançou o procurador-geral norte-americano, Merrick Garland, na sequência da detenção.

Identificado como “O.G.”, Teixeira publicou o material durante meses, inicialmente com as suas próprias anotações e, desde há alguns meses, com imagens de documentos com marcas de dobras, porque sentiu que as suas redações não eram levadas a sério, disse à AP um membro do grupo que recusou a identificar-se.

A mesma fonte indica que o jovem era um cristão que frequentemente falava de Deus, orava com os membros do grupo de conversação e, enquanto estava alistado, opôs-se a muitas das prioridades do Governo dos Estados Unidos, mas frisa não acreditar que este tenha divulgado os documentos por motivos ideológicos.

Na Guarda Aérea Nacional desde 2019, o jovem era aviador de primeira classe e “especialista em sistemas de transporte cibernético”, ou seja, um perito em tecnologias de informação responsável pelas redes de comunicações militares. Nesse papel, teria um nível mais alto de habilitação de segurança porque também teria a responsabilidade de aceder e garantir a proteção da rede, disse um oficial de defesa à agência noticiosa.

Quando questionado sobre como um militar tão jovem poderia ter acesso a documentos altamente confidenciais, o porta-voz do Pentágono, Patrick Ryder, disse ser da natureza dos militares confiarem nos seus membros mais novos grandes níveis de responsabilidade, incluindo questões significativas de segurança.

A Guarda Nacional emitiu um comunicado em que realça encarar o tema “muito a sério”. “A segurança nacional é nossa principal prioridade e qualquer tentativa de miná-la compromete os nossos valores e degrada a confiança entre os nossos membros, o público, aliados e parceiros”, pode ler-se na nota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui