Startup de motos elétricas chega em Angola com foco na expansão de serviços

4228

A startup de mobilidade Bob Eco já está disponível em Angola, propriamente na capital do país, Luanda, com 150 motos elétricas para serviço de táxi por aplicativo móvel, que nesta altura estão ligadas à Kubinga, mas que, a curto prazo, estarão disponíveis noutras plataformas presentes no país.

Segundo o que foi revelado, a operação é igual a um serviço de táxi, isto é, através do aplicativo o cliente vai chamar a moto. As tarifas das corridas vão ser calculadas pelo aplicativo a que estiver associado. Inicialmente, as motos elétricas vão começar a operar com o suporte do aplicativo da empresa Kubinga, que já tem um serviço similar, mas para veículos a combustão. Este acordo não é exclusivo, o que vai permitir que os motoristas se cadastrem noutros aplicativos que estão a operar no nosso mercado.

A expectativa é que este ano cheguem mais 850, completando 1.000 motociclos com níveis de poluição zero nesta primeira fase, de acordo com Paulo Narciso, presidente do Fórum Angolano dos Jovens Empreendedores (FAJE), que é a responsável pelo processo de “distribuição” destas unidades. O investimento é da empresa dos Países Baixos, W.G.C Versteeg Holding B.V. do empresário Wilbert Versteeg e o Bob Eco Group, do holandês Bob Ultee.

Os jovens foram escolhidos a dedo. São pessoas que já fizeram o trabalho de moto-táxi e receberam formação adicional. Para as próximas unidades, um dos critérios para receber o veículo é estar associado ao FAJE”, explica Paulo Narciso ao semanário Expansão.

Os motoristas da Bob Eco vão pagar à empresa 4.500 Kz/dia, 135 mil Kz em cada mês para terem a pose do motociclo e serem autónomos na sua gestão. O contrato prevê que estes são responsáveis por escolher os serviços e as zonas onde vão atuar.

A amortização das motorizadas elétricas vai ser feita durante dois a três anos, dependendo do cumprimento do pagamento das prestações por parte do motorista. Em termos práticos, o valor da moto chega aos 3,2 milhões Kz, se se cumprir à risca as obrigações de pagamento. Feito o pagamento completo, as motos serão dos motoristas, pelo que a partir desta data podem manter a atividade sem ter de pagar qualquer prestação à empresa.

A manutenção dos veículos será feita por uma equipa de mecânicos da Bob Eco, nas instalações da empresa, sendo que esta vai pagar igualmente o seguro da motorizada durante o período de reembolso do valor.

Dessa forma, os veículos elétricos da Bob vão proporcionar aos cidadãos angolanos um ar mais limpo e oportunidades económicas nas comunidades mais pobres, sendo que a mesma torna-se a primeira startup de mobilidade eletrónica em Angola, com as suas moto táxis elétricas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui