As TICs são uma solução para o desemprego em África?

0
1966

O impacto socioeconómico da pandemia da COVID-19 é especialmente forte para as gerações mais jovens em África. Os jovens enfrentam vários desafios, incluindo interrupções na educação, treinamento e aprendizagem no trabalho. Eles são ainda impactados por perdas de emprego e renda devido as demissões e redução da jornada de trabalho.

A pandemia mostrou que a tecnologia digital é agora vital para todas as economias, aumenta muito o potencial das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para resolver os problemas crescentes de desemprego e desenvolvimento de habilidades em todo o continente.

No entanto, o sucesso das respostas dos países a esta crise, a sustentabilidade da recuperação e o cumprimento das metas de desenvolvimento de longo prazo dependerão de jovens saudáveis ​​e qualificados que contribuem com o seu trabalho, ideias e experiência, especialmente no sector de TIC.

Embora a tecnologia tenha o potencial de resolver muitos problemas, há uma série de factores que precisam ser considerados com antecedência. A tecnologia escolhida precisa ser adequada para a aplicação específica. Isso se deve aos grandes desafios enfrentados quando se trata de implantar tecnologias no continente – obstáculos criados pela falta de infraestrutura e fornecimento de energia não confiável, especialmente em locais rurais.

Esses desafios exigem soluções exclusivas adaptadas especificamente para essas condições. Como resultado, cada país precisará garantir que os seus requisitos exclusivos sejam atendidos e que eles mesmos possam dar suporte e cuidar da tecnologia para evitar a dependência, o que inclui a consideração de transferência de habilidades.

Trazer as capacidades das TICs para os países africanos será benéfico para todos os sectores e todos os indivíduos. O sector da saúde se beneficiará do acesso remoto a especialistas em outras partes do mundo, o que é fundamental para manter a força de trabalho saudável e produtiva para alcançar a recuperação económica.

A educação se beneficiará do fluxo livre de informações e o sector empresarial ganhará a capacidade de comunicação mundial necessária para prosperar. Aqui, é importante ter em mente que as TICs são amplamente bem especificadas e padronizadas, o que significa que é possível construir algo em Angola, enviá-lo para outro país no continente e é plug-and-play a partir desse ponto.

Por meio da terceirização, a tecnologia de comunicação agora ajuda os provedores a dar suporte aos clientes por meio de mecanismos online para configurar sistemas e gerenciar equipamentos remotamente e o treinamento é possível por meio de videoconferência e outras plataformas online. Tudo isso se soma a prazos mais curtos para implantar soluções que vão começar a resolver os problemas de desemprego e falta de habilidades em África por meio da criação de empregos, treinamento e desenvolvimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here