Ataques cibernéticos em África comparáveis ​​às taxas mundiais

0
5825

Com a transformação digital uma das principais prioridades da agenda corporativa, à medida que as empresas identificam novas maneiras de expandir os seus negócios, os cibercriminosos oportunistas continuam muito activos.

Embora África não seja necessariamente considerada uma área de foco para os tipos mais sofisticados de actividade cibercriminosa, como ataques direcionados ou ameaças persistentes avançadas (APTs), o continente certamente não é imune a esses ou outros tipos de riscos cibernéticos, alertam os pesquisadores da Kaspersky.

Ao observar o panorama geral das ameaças cibernéticas conforme elas afectam os consumidores e as empresas, a pesquisa da Kaspersky mostra que em 2020, em todo o mundo, aproximadamente 10% dos computadores sofreram pelo menos um ataque de malware.

Curiosamente, em alguns países africanos, incluindo a África do Sul, o número ficou apenas ligeiramente abaixo da média global de 10%, tornando a região africana comparável à da América do Norte ou da Europa em termos de ataques cibernéticos.

Em algumas partes do continente, em países como Libéria, Tunísia, Argélia e Marrocos, por exemplo, o Kaspersky teve uma taxa um pouco mais alta, enquanto outras partes mostram uma taxa mais baixa – uma média de 5% ou 6%.

Para o primeiro trimestre de 2021, os valores são apenas ligeiramente inferiores a 10%, tanto em termos relativos como absolutos. Na África do Sul, Quénia e Nigéria, a pesquisa da Kaspersky identificou as principais famílias de malware como ransomware, cavalos de Troia financeiros/ bancários e malware cripto-mineiro.

No Quénia e na Nigéria, a Kaspersky viu um grande aumento nos cavalos de Troia financeiros/ bancários no segundo trimestre de 2021 em comparação com os números do primeiro trimestre de 2021 – um aumento de 59% no Quénia e de 32% na Nigéria.

O setor de serviços financeiros continua a ser um dos principais segmentos de mercado em África quando se trata de actividade criminosa cibernética e ameaças cibernéticas – o que não é surpreendente quando se considera a abordagem digital que esse sector continua a adotar, impulsionado pelas necessidades e expectativas dos seus clientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here