Estado Angolano passa a controlar na totalidade a UNITEL

3369

O Governo Angolano, na pessoa do Presidente da República, acaba de apropriar, por via de nacionalização, a participação detida pela VIDATEL LIMITED no capital social da UNITEL SA, correspodente a 25% do capital social.

Segundo a nota presidencial, o Estado Angolano agora é o dono das ações da UNITEL, “independentemente de quaisquer formalidades, livres de quaisquer ónus ou encargos, sendo oponíveis a terceiros após o registro“, informa o comunicado.

A gestão da participação agora apropriada, é atribuída ao INSTITUTO DE GESTÃO DE ATIVOS DO ESTADO (IGAPE) que representa o Estado em todos os direitos inerentes, nos termos da lei. É da competência do departamento ministerial responsável pela Finanças Públicas o pagamento de indemnização quando e se devida, nos termos da lei“, pode ler-se no documento.

De informar que a nacionalização é um processo marcado pela estatização de empresas. Assim, o seu significado está associado a um controle maior dos Estados sobre as companhias que compõem a economia de um país, assim como de seus produtos e serviços.

Nesse caso, a UNITEL passa a ter um papel de utilidade pública, de modo que a iniciativa privada tem um papel menos atuante na economia, dando mais espaço para as estatais. Além disso, o objetivo dessa nacionalização, levando em conta a sua adesão em Angoa, está associado ao uso dos recursos da nação para se desenvolver e construir um Estado forte.

MAIS: Problemas de rede da Unitel afetaram três milhões de pessoas em 2022

A UNITEL é uma empresa prestadora de serviços na área de telecomunicações móveis (telefonia celular), tendo sido a primeira a operar com a tecnologia GSM no mercado angolano. Foi constituída em 1998 e entrou no mercado em 2001. No terceiros trimestre do mesmo ano assumiu a liderança do mercado em número de clientes.

Desde dezembro de 2004, a empresa vem fornecendo cobertura de rede móvel nas capitais das 18 províncias.[1] Em dezembro de 2011 passou a oferecer cobertura para todas as sedes municipais do país.[2] Quando iniciou a atividade em Luanda e Benguela, a empresa operava em GSM 900, atualmente opera em GSM 1800.

Com mais de 14 mil quilómetros de Fibra Ótica, a UNITEL tem sido um verdadeiro motor do desenvolvimento tecnológico ao proporcionar uma rede capaz de suportar a transmissão de chamadas de Voz e Dados com qualidade, fiabilidade e velocidade de transmissão, fatores indispensáveis para o sucesso e a excelência do serviço prestado aos seus Clientes.

A UNITEL é o maior operador de telecomunicações em Angola, com 100% de cobertura dos Municípios do país.

A elevada cobertura da UNITEL é resultado do investimento na construção de uma rede de fibra nacional, com mais de catorze mil quilómetros instalados nos últimos 8 anos e que continua a crescer. O exemplo mais recente desse crescimento é a construção do Cabo Submarino UNITEL Norte, que fornece conectividade ao enclave de Cabinda com mais de 38Tbps de capacidade entregue ao nosso 2Africa CLS em Luanda.

Esta rede é construída com redundância de forma a garantir a máxima qualidade do serviço prestado, pelo que para a maior parte da rede deve estar sempre disponível um caminho alternativo, este é o padrão de qualidade UNITEL para cada solução que entregamos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui