[Moçambique] Traficantes usam internet para recrutar vítimas

1138

Os traficantes de seres humanos apostam, cada vez mais, no uso de tecnologias de informação e comunicação para traçar o perfil, aliciar, recrutar e controlar as potenciais vítimas.

A informação foi revelada pela Procuradora-Geral-Adjunta de Moçambique, Amabélia Chuquela, no lançamento da semana de Luta Contra o Tráfico de Pessoas, sob lema “Uso e Abuso da Tecnologia no Tráfico de Pessoas”.

Conforme explicou, com a internet as limitações físicas e barreiras geográficas tradicionais deixaram de existir, acesso fácil a um grupo maior de potenciais vítimas.

Desta feita, usam todo o tipo de artifícios fraudulentos, desde a criação de páginas e endereços falsos, publicação de anúncios, em portais de emprego legítimos e sites de redes sociais para aliciar as vítimas.

A tecnologia tem sido usada pelas redes do crime organizado como ferramenta para facilitar o tráfico, exercer controlo sobre as vítimas, divulgar os seus serviços, mas, também para ocultar as suas atividades”, disse.

Apontou que o sector está consciente que os meios tecnológicos podem ser utilizados pelos atores da linha da frente, nomeadamente, as autoridades de investigação e prossecução penal, para identificar e resgatar as vítimas, bem comi para a prevenção e combate ao crime.

Para Chuquela, impõe-se o uso seguro da internet e das redes sociais para mitigar o risco das pessoas, especialmente crianças e jovens, caírem em redes de tráfico de pessoas.

“Atualmente, o tráfico de pessoas tornou-se cada vez mais difícil de detetar, daí que a nossa aposta é a prevenção e o combate ao tráfico on-line”, sublinhou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui