Rússia pondera bloquear Youtube em todo o território do país

0
1599

O órgão regulador das telecomunicações da Rússia, Roskomnadzor, ameaçou hoje bloquear o YouTube se a rede social continuar a se recusar a levantar a suspensão das contas alemãs do canal de televisão público russo RT.

A autoridade das telecomunicações daquele país informou que pediu ao Google, dona do Youtube, “que levantasse o mais rápido possível as restrições impostas aos canais do RT DE e Der Fehlende Part no YouTube“.

A legislação prevê a suspensão total ou parcial do acesso caso o proprietário de uma plataforma não execute uma recomendação do Roskomnadzor”, afirmou.

De informar ainda que  Youtube bloqueou as contas do RT DE e Der Fehlende Part na terça-feira(28/9) por violarem as regras internas da comunidade ao disseminar “informações falsas” sobre o novo coronavírus e por querer contornar a suspensão do ‘download’.

MAIS: Rússia aprova lei que isola país do restante da internet

É “um ato de agressão de informação sem precedentes por parte do YouTube”, reagiu o Ministério dos Negócios Estrangeiros, num comunicado divulgado na madrugada de hoje, acusando as autoridades alemãs de terem “obviamente incentivado, até mesmo insistido” nessa decisão.

O objetivo desta agressão aos projetos do grupo russo é óbvio: silenciar as fontes de informação que não se encaixam num enquadramento mediático confortável” para as autoridades na Alemanha, declarou a diplomacia russa, observando nesta ação “a continuação de uma guerra de informação contra a Rússia”.

Neste contexto, “a tomada de medidas retaliatórias simétricas contra os meios de comunicação alemães na Rússia (…) parece não apenas apropriada, mas também necessária”.

A RT, que também transmite em inglês, francês e espanhol, para muitos é vista como um canal de propaganda internacional do Kremlin.

O YouTube bloqueou as suas contas porque a RT DE queria, através do seu canal Der Fehlende Part, contornar a proibição de transmissão de novos vídeos por uma semana por causa da disseminação de desinformação sobre a covid-19, segundo os meios de comunicação alemães.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here