Alunos refazem exame após recorrerem ao ChatGPT em França

1766

Vinte estudantes da Universidade de Estrasburgo, em França, que usaram o ‘software’ de inteligência artificial ChatGPT para realizarem um exame à distância, tiveram de repetir a prova.

Os resultados mostraram que o ChatGPT “trai” nas respostas de “20 alunos”, que tiveram de fazer uma “recuperação” in loco esta semana, anunciou o estabelecimento de ensino.

O exame original, ‘online’, era um questionário de escolha múltipla sobre a história do Japão.

Idealizado pela startup californiana OpenAI e disponibilizado ao público em novembro passado, o ChatGPT gere de forma automática textos ou linhas de código de computador em poucos segundos.

MAIS: ChatGPT cresceu mais rápido que qualquer outro aplicativo, revela estudo

O ‘chatbot’ suscita a preocupação da comunidade educativa, que receia que seja utilizado como instrumento de plágio por parte de estudantes durante os testes, mas também nos trabalhos de casa.

Um dos fundadores da OpenAI, o bilionário Elon Musk, escreveu no Twitter no início de janeiro: “É um novo mundo. Adeus, trabalhos de casa!”.

O ChatGPT e outros serviços de inteligência artificial estão a ser banidos de escolas e universidades de todo o mundo, como no Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences-Po Paris).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui