Empresários europeus manifestam desejo de investir no hidrogénio verde em Angola

0
571

Uma comitiva de empresários europeus, em particular de origem alemã, manifestaram o interesse de participar na diversificação económica de Angola, nomeadamente no investimento na produção do hidrogénio verde.

Essa iniciativa foi apresentada na 1° edição do Fórum Empresarial União Europeia-Angola, em Bruxelas, Bélgica, no último mês, onde segundo o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, essa inicativa europeia deriva do facto de o hidrogénio ser uma fonte  de combustível no processo de transição energética  a nível global.

Ainda no seu discurso, em representação da comitiva angolana, o Ministro disse que a energia eléctrica, proveniente do hidrogénio, é ”mais verde e constitui uma das fontes limpas e de produção” .

Tendo como base às características geográficas, hipsométrica e abundância de recursos hídricos, João Baptista Borges frisou que o nosso país ”destaca-se como um país de alto potencial em fontes de energias renováveis“, daí o interesse em materializar tal objectivo.

MAIS: Empresas americanas interessadas em investir tecnologicamente em Angola

Apesar de que Angola esteja a dar os primeiros passos para a transição energética, o titular da pasta da energia e águas revelou que já estamos a deixar algumas pistas sobre o rumo que vamos tomar, identificando o hidrogénio como o grande catalisador, apostando na sua produção e exportação.

Por isso, finalisou o Ministro, esta situação será inevitável, tendo em conta que Angola tem potencial para produzir níveis de hidrogénio em quantidade suficiente para cobrir parte das receitas que se irão perder na exportação petrolífera, especialmente a partir de 2030, quando as grandes construtoras de indústria automóvel deixarem de fabricar viaturas movidas a gasóleo ou gasolina.

De informar que o Fórum União Europeia-Angola ocorreu depois da Cimeira entre a União Europeia e a União Africana, e que serviu para que o nosso país procurasse investimentos que lhe permitam diminuar a sua dependência da volatilidade do preço do petróleo, que é o principal produto de exportação até ao momento.

Durante o evento, sectores como da agricultura, da digitalização, energias renováveis, indústria, logística e água e infra-estruturas, bem como do investimentos fizeram parte dos paineis no referido fórum.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui