Facebook começou a filtrar notícias falsas na Alemanha

896

A rede social Facebook anunciou que vai lançar nas próximas semanas uma ofensiva na Alemanha para combater a propagação de notícias falsas.

Os usuários que desconfiem que algum conteúdo é falso, podem marcá-lo para ser enviado para uma organização sem fins lucrativos chamada Correctiv que irá validar a informação. Caso seja mesmo falso, o artigo fica marcado e aparece uma explicação da Correctiv a justificar como chegou a essa conclusão.

No seu comunicado o Facebook avança que é importante que as notícias publicadas na rede social sejam confiáveis. “Acreditamos que uma análise de dados independente e transparente pode ser um instrumento muito poderoso para um jornalismo responsável”, afirmou o Facebook, apesar de reconhecer que ainda resta muito trabalho a ser feito sobre o assunto.

“Vamos continuar a trabalhar nesse desafio e introduziremos a novidade em breve em outros países”, anunciou a rede social.

Os usuários que tentarem partilhar notícias falsas vão também receber um alerta de que o conteúdo que estão a difundir não é verdadeiro. Por fim, este tipo de notícias, depois de identificadas e marcadas, vai aparecer no fundo dos feeds, reduzindo-se a probabilidade de serem vistas.

O ministro da Justiça da Alemanha, Heiko Maas, também receia a diversidade de possibilidades de manipulação nas redes sociais durante a campanha eleitoral, onde cita as propagações propositais de desinformação e notícias falsas para influenciar o debate.

As redes sociais podem ser poderosas em períodos de grandes decisões e não são todos os usuários que buscam averiguar se o conteúdo da notícia é verdadeiro ou não antes de compartilhá-lo.