Governo vai capacitar quadros sobre conhecimento na área espacial

1120

O Governo Angolano vai capacitar sobre conhecimento na área espacial vários quadros de instituições académicas, segundo o coordenador do Programa Nacional de Educação Espacial, Gilberto Gomes.

O dirigente que falava na abertura do 3ª Curso de Desenho, Construção e Lançamento de Pequenos Satélite (Cansat), promovido pelo Ministério das Telecomunicações, Tecnologia de Informação e Comunicação Social (MINTTICS), através do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN), disse que os quadros nacionais poderão ter a primeira experiência em projetos espaciais.

O CANSAT Angolano é um picossatélite construído pelo GGPEN com propósitos educativos, o qual possibilita aos estudantes obterem a sua primeira experiência num projeto aeroespacial.

Sobre a 3ª edição do curso, decorre de 8 de maio a 14 de junho, no Instituto Superior de Tecnologias de Informação e Comunicação (ISUTIC) da Universidade de Luanda, onde participam 30 formandos de 15 universidades públicas e privadas do país, selecionados nas províncias da Lunda-Norte, Huambo e Uíge.

A formação visa munir os formandos de conhecimentos sobre as funções, arquitetura e integração de subsistemas que compõe um satélite, dando assim a possibilidade do envolvimento da Academia Nacional em projetos relacionados à Ciência e Tecnologia Aeroespacial.

O conjunto vai aprender a desenhar uma missão, a constituir os subsistemas, a testar, lançar, a fazer a captação dos dados, dar tratamentos aos dados e produzir as informações, um trabalho semelhante às operações feitas pelos operadores do Centro de Controle e Emissão do Angosat -2.

Gilberto Gomes explica ainda que a passagem de conhecimento visa a fortificação do binómio academia e indústria, justificando a necessidade de mais quadros nacionais para atenderem os projetos da área espacial. Com esta iniciativa, as universidades nacionais, nos próximos tempos, possam lançar o seu primeiro satélite, denominado “Cubesate Académico”.

Para isso, ao longo da formação, os formandos vão aprimorar técnicas de desenho, construção, testagem, lançamento, operação e processamento de dados obtidos de uma representação funcional de um satélite real integrado num volume de lata de refrigerante de 330 milimetros, o CANSAT.

Este grupo de formandos serão, de igual modo, contemplados com duas aulas magnas de professores renomados internacionalmente na academia e indústria de pequenos satélites, nomeadamente, a Robert Van Zil (AAC Space Africa) e Tayo Tejumola (International Space University).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui