“O próximo Facebook poderá surgir em Angola” diz Executivo da Unitel

3200

unitel

Estas são palavras de Amílcar Safeca, director-geral adjunto da Unitel para área técnica, em entrevista dada ao portal SAPO Notícias durante o workshop “Como Podem as Telecomunicações Melhorar a Vida das Pessoas e Promover o Desenvolvimento”, inserido no 1º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa (Outubro de 2012) em Lisboa – Portugal.

Segundo Amílcar Safeca, os jovens angolanos são pessoas criativas, inovadoras e com a formação que têm estado a receber nas universidades, com a  interação que têm através do uso da internet e o acesso à informação que antes não tinham, terão a possibilidade de desenvolver potenciais e aplicar esse conhecimento e quem sabe “poderá surgir o próximo Facebook em Angola, é bem possível, não duvido” (Assista o vídeo AQUI).

Perante tais declarações, quem sou eu para discordar  Muito pelo contrário, fico feliz por ouvir que estas palavras vêm de um Executivo da mais popular empresa nacional de tecnologia de informação e comunicação, mas ficarei mais feliz ainda quando as empresas começarem a apostar mais seriamente nos jovens que fazem os tais “Facebooks angolanos”.

Recentemente, um grupo de jovens angolanos composto por estudantes universitários, engenheiros informáticos, gestores, empreendedores, programadores e marketeers, juntou-se para criar a Associação StartupAngola, com o objectivo de fomentar o empreendedorismo digital em Angola, dando suporte e acompanhamento aos empreendedores digitais, trazendo para a Angola a “cultura startup” de empreededorismo e inovação que nasceu em Silicon Valley – EUA e tem explodido um pouco por todo o mundo.

Basicamente, uma startup é uma “empresa de garagem“, um grupo de pessoas que desenvolve um modelo de negócio inovador, baseado em novas tecnologias e com grande potencial de crescer rapidamente. Tal como o Google, o Groupon ou o famoso Facebook.

Para que projectos do gênero sejam uma realidade em Angola será necessário um conjunto de agentes para a criação de um ecossistema de empreendedorismo digital que trabalhem de mãos dadas, tais como o empresariado local, as universidades, o governo, investidores, advogados, mentores e demais instituições.

Tem havido algumas iniciativas por parte de instituições públicas e privadas, como é o caso do concurso Talentos Tecnológicos que está a decorrer neste momento, oferecido pela InfraSat. Já seria uma grande ajuda se a Unitel entrasse na “onda”. Contudo, as perspectivas são boas e acredito que num futuro próximo as coisas irão compôr-se, como diz o Jo Cognitivo “tecnologia dá certo em qualquer lugar”.

Fonte: SAPO Notícias – Angola

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui