Participação das telecomunicações no PIB cai mais de oito por cento em 2022

2007

O Valor Acrescentado Bruto da Telecomunicação sobre o Produto Interno Bruto (PIB) registou uma queda de 8,1 por cento, durante o III trimestre de 2022 em relação ao trimestre anterior, representando assim um contributo para a variação total do PIB na ordem dos 0,21 pontos percentuais.

Essa informação foi revelada no último Relatório das Contas Nacionais do III Trimestre do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), sublinhado que o resultado foi motivado pela redução da produção das Unidades Tarifárias de Telecomunicações (UTT), em consequência da disponibilidade de um leque mais diversificado de formas de comunicação.

MAIS: Especialista defende a urgência de capital humano qualificado nas telecomunicações em Angola

Segundo ainda o estudo, a maior facilidade no acesso à Internet com uma gama variada de serviços, planos com duração a preços mais atrativos e a existência de um maior número de operadoras, no quadro das reformas levadas a cabo pelo Governo Angolano são alguns dos motivos para a atual tendência.

O INE destaca também que a Intermediação Financeira e de Seguros teve, no período em referência, um crescimento de  41,6 por cento, o que perfaz um contributo positivo de 36 pontos percentuais na variação total do PIB, um resultado que o INE atribui ao  “aumento dos rendimentos dos bancos comerciais”, na medida em que o seu peso é relevante no segmento da atividade bancária, num período marcado pelo incremento dos proveitos, aplicação de liquidez e dos créditos concedidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui