Projeto tecnológico de construção de uma circular ferroviária vencedor da “Feira das Ideias”

1072

O projeto tecnológico de construção de uma circular ferroviária, ligando as zonas da Arimba, Eywa e a Centralidade da Quilemba, para desafogar a pressão que se exerce sobre os transportes rodoviários, foi o grande vencedor da “Feira das Ideias”, no Lubango, província da Huíla.

O projeto vencedor é da autoria do estudante Francisco Jonas, inscrito no 6º ano do curso de engenharia civil, do Instituto Superior Politécnico da Huíla (ISPH), que falando aos jornalistas, frisou que a ideia surgiu pelo facto de as circulares ferroviárias serem muito importantes porque conseguem ligar cidades, poupando tempo, diminuindo as distâncias e os custos.

Francisco Jonas frisou ainda que com a implementação do projeto pode-se ter uma redução dos constrangimentos ao nível de tráfego, relativamente a acessibilidade à centralidade da Quilemba (com mais de oito mil casas), zona da Eywa (quatro mil fogos) e ao mercado informal do Mutundo, esse último que movimenta perto de 30 pessoas/dia.

A circular ferroviária é um modelo transporte que trará melhorias no acesso em locais onde existe difícil acesso por estrada, sem esquecer que poderá também melhorar o panorama estrutural da cidade do Lubango“, disse o founder.

MAIS: Engenheira angolana cria aplicativo para ajudar pessoas com deficiências

O estudante informou também que nas vantagens desse modelo está o transporte rápido, regular, cómodo e seguro, assim como a inexistência de constrangimentos, facilidade de circular, independentemente das condições atmosféricas e o menor custo para grandes distâncias.

Acrescentou ainda ser económico no transporte de carga, maior capacidade de transporte e adequado para todo o tipo de produto, para além de ser pouco poluente e baixo consumo de energia.

Nas desvantagens, Francisco Jonas apontou elevados investimentos na construção e manutenção, necessidade da conjugação com outros modais de transportes para alcançar o destino final da carga e percorrer longos períodos de viagem, adiantando que os principais problemas que a sua implementação pode encontrar são as numerosas residências ao longo do traçado e os cursos de água, que podem tornar a sua implementação mais onerosa.

A “Feira das Ideias” decorreu de 23 a 26 de novembro, onde no segundo lugar do concurso ficou um projeto de implementação de bicicletas públicas como meio de transporte, para retirar o trânsito da cidade e incentivar o uso de um “meio amigo do meio ambiente”, uma iniciativa de dois estudantes de engenharia civil, também do ISPH, e na terceira posição uma plataforma de serviço de táxi, de estudantes do Instituto Superior Politécnico o Independente (ISPI).

Para o chefe do departamento provincial de Tráfego e Mobilidade, Octávio João, os projetos vencedores poderão ajudar na melhoria da mobilidade na cidade do Lubango, após implementados, uma iniciativa a longo prazo que será tida em conta.

A feira de ideias visou encontrar sugestões que melhorassem a mobilidade urbana na Huíla e nela foi lançado um concurso que distinguiu as melhores, mediante um corpo de júri.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui