Serão criados centros de defesa cibernética em África

0
2236

África vai criar centros de defesa cibernética com vista a combater as ameaças nas suas infraestruturas. Os especialistas em segurança e integrador de sistemas NEC XON vão estabelecer três novos centros de operações de defesa cibernética.

Em um comunicado, a empresa explicou que as novas instalações estão a ser implantadas para ajudar as agências africanas a responder mais rapidamente aos ataques, para ajudar a identificar hackers e prender criminosos.

O centros de operações de defesa une os mundos de segurança física e cibernética, que incluem sistemas analíticos e biométricos . Os serviços individuais são numerosos demais para mencionar, mas vão desde controle de acesso e perímetro até a detecção de impressões digitais, reconhecimento de íris, análise de Big Data e reconhecimento facial.

De acordo com a NEC XON, a inteligência de ameaças africanas até agora tem sido delgada e, embora tenha sido possível determinar se os ataques são intercontinentais, pouco mais está disponível. Os centros serão implementados na Nigéria, no Senegal e um terceiro nas Ilhas Maurício, além das instalações existentes na África do Sul.

Vernon Fryer, chefe do centros de operações de defesa cibernética da NEC XON, afirma que “esses três centros fazem parte do alcance mundial da sua companhia de centros híbridos de segurança cibernética, cujo complementam as instalações no Japão, Austrália, Singapura, África do Sul, Brasil, Viena e Estados Unidos.”

Em abril de 2018, a empresa de segurança cibernética Serianu anunciou que, com base no seu relatório sobre a “Cibersegurança Africana de 2017”, cinco principais mercados de África (Gana, Quênia, Nigéria, Tanzânia e Uganda) perderam aproximadamente US $ 3,5 mil milhões por crimes cibernéticos em 2017.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here