Sistema que ensina carros autónomos ganha o concurso de startups da Web Summit

1045

A startup inglesa Wayve que ensina os carros autónomos foi o grande vencedor do evento tecnológico Web Summit 2018. Foi criada por estudantes do departamento de engenharia da Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

Wayve tem como objectivo de usar algoritmos e aprendizagem por reforço para pôr carros autónomos a conduzir nas estradas, sem os ter de programar com mapas das estradas de várias cidades. E desde Janeiro de 2018 que tem alguns automóveis a ser testados nas estradas do Reino Unido.

Ao contrário de outros programas para condução autónoma, a Wayve não aposta em “câmaras e sensores” porque isso “pode confundir o carro”, foca-se antes “no conhecimento” para fazer com que o veículo “seja capaz de reconhecer o seu ambiente e as decisões que tem de tomar”.

A tecnologia de hoje usa sensores e regras para pôr carros autónomos em algumas cidades, mas o nosso projecto permite levar a condução autónoma a todas, justificou Alex Kendall, o co-fundador da Wayve, no palco da Web Summit.

A Wayve continua a precisar de sensores que captam os dados relativos às estradas, mas usa a inteligência emprestada pelos humanos que os vão ensinando, com as múltiplas correções que vão sendo introduzidas. É esta mudança de paradigma que promete criar um atalho na evolução tecnológica – e dar aos carros a capacidade para circular em locais que nunca visitaram.

Estamos a desenvolver uma solução de condução autónoma que se foque mais na inteligência do que em atirar um número de sensores para este problema”. Segundo o académico, “se se tiver 100 sensores laser num carro o sistema pode ficar confuso” e o que querem é que “o carro perceba o problema”.

A escolha foi feita pelos jurados do pitch, os investidores Tom Stafford, Bedy Yang e Holly Liu, veredicto este que valeu 75% face aos 25% da escolha do público, que tinha colocado esta empresa em terceiro lugar, depois das startups LvL5 e Factmata.