Angola com meios tecnológicos para prever o nível das descargas atmosféricas

1616

Angola dispõe atualmente de meios tecnológicos para controlar os níveis de intensidade e a regularidade das descargas atmosféricas, revelou o diretor adjunto para a área Técnica do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET).

O responsável informou que o INAMET possui uma rede de medição das descargas atmosféricas, composta por três “robot-sonda” de medição das variáveis meteorológicas, desde à superfície até 32 km de altitude.

 “A avaliação feita por estas máquinas é complementada com o resultado dos dados obtidos pela rede de estações meteorológicas de superfície”.

Segundo Isidro Tuleni, estes instrumentos estão a fazer a medição diária dos fenómenos atmosféricos do país.

A regularidade deste trabalho tem também como meta criar um banco de dados, para aferir se as tempestades estão cada vez mais violentas e qual a frequência em cada região do território nacional, assim como as possíveis causas de tais mudanças ou aumento na intensidade”, disse.

MAIS: Académicos do INAMET participam de publicação científica mundial

O diretor adjunto para a área Técnica do INAMET informou que os relâmpagos ou descargas atmosféricas ocorrem quando há presença de quantidade alta de humidade em altos níveis, ou seja, temperaturas abaixo de zero graus célsius.

Quando há humidade em altos níveis é sinal que a chuva vai ser acompanhada de gotículas super-resfriadas e cristais de gelo, que ao colidirem estimulam a eletrificação da nuvem e consequente as descargas atmosféricas”, afirmou.

Por fim, Isidro Tuleni disse que os dados obtidos pelo INAMET nos últimos meses indicam que este ano vai haver uma ocorrência de chuva acima do normal climatológica em quase toda a região Norte do país, especialmente nas províncias de Luanda e partes do Cuanza-Sul e Benguela.

Para essa época chuvosa, avançou, sobretudo nos meses de janeiro, fevereiro e março do próximo ano, as projeções indicam chuvas intensas na região Norte, assim como um nível perto da média climatológica em toda a região Sul.

Essas chuvas podem ou não ser acompanhadas de fortes descargas atmosféricas”, declarou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui