Angola vai ter um sistema informatizado para gerir acções de combate à pobreza

395

Angola vai contar brevemente com uma plataforma de sistema informático de gestão das acções de combate à pobreza, com o objectivo de introduzir eficiência e efectividade na redução dos índices de extrema pobreza quer nas zonas rurais como nas áreas urbanas.

O projecto tecnológico é do Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), onde na cerimónia de apresentação do mesmo, a Secretária de Estado Elsa Bárber, disse que o o programa vai permitir não só o controlo dos mecanismos de reporte, através dos indicadores, mas também disponibilizará dados de indicadores de contexto, sobretudo, dos principais grupos de vulnerabilidade a que o Executivo tem vindo a prestar a máxima atenção.

Segundo o que foi revelado pela dirigente, com a criação da plataforma web, continuou, o Governo Angolano vem assim criar maior dinâmica na produção de dados multissectoriais fiáveis, quer a nível local como central, para sustentar um conjunto de medidas e decisões para a melhoria da qualidade de vida dos angolanos.

A Unidade de Acompanhamento e Supervisão tem agora um instrumento tecnológico para auxiliar nas acções de monitoria em coordenação com os governos  para auxiliar as acções das administrações municipais, que terão o seu trabalho facilitado, do ponto de vista de planeamento e execução das acções do Programa de Combate à Pobreza”, disse Elsa Bárber.

Nos últimos tempos, o Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza tem representado um grande desafio para o Executivo Nacional, na medida em que contribui na rentabilização social e económica, criando um novo paradigma de desenvolvimento sustentável e bem-estar das famílias angolanas. Sendo assim, esse projecto tecnológico enquadra-se numa estratégia de descentralização e desconcentração administrativas e financeiras, orientada pelo Executivo através dos recursos consignados, conferindo, actualmente, a cada município 28 milhões de kwanzas mensais, dos quais três milhões estão destinados à merenda escolar.

MAIS: IGAPE vai criar portal para processo de prestação de contas pelas empresas angolanas

A Secretária de Estado para a Acção Social, Família e Promoção da Mulher frisou ainda que o projecto é um compromisso sério assumido para proporcionar vários serviços públicos em localidades de difícil acesso, como o comportamento da mulher rural e nas áreas urbanas, reintegração social e económica dos ex-militares, oriundos dos Acordos de Paz e inclusão produtiva das famílias e grupos em situações de vulnerabilidade.

Por outro lado, Miguel Pereira, director da Unidade Técnica do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza, revelou ainda que a plataforma informática será criada para facilitar o processo de prestação de contas, tratamento de dados, monitoria e avaliação periódica, acrescentando ainda que a mesma vem resolver os constrangimentos registados, sobretudo os ligados aos atrasos de administrações municipais na prestação de contas nos prazos estabelecidos. Segundo o responsável, vai também melhorar a coordenação entre a Unidade de Acompanhamento e Supervisão e o Ministério das Finanças, através das delegações provinciais, bem como o processo de descentralização dos serviços prestados pelos Órgãos da Administração Local do Estado.

Espera-se que com a entrada da operacionalização da plataforma informática de gestão do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza, tornar-se eficientes e eficazes os mecanismos de monitoramento online, de preparação e execução das acções, e controlo dos resultados, e introduzir novos mecanismos de divulgação deste programa junto dos beneficiários e da sociedade, finalizou Miguel Pereira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui