Cabo Verde vai discutir com UE apoio à segurança cibernética

1106

O Governo cabo-verdiano pretende discutir nos próximos dias com a União Europeia (UE) o apoio ao reforço da segurança cibernética do arquipélago, uma das três áreas prioritárias de colaboração anunciadas pelo vice-primeiro-ministro, Olavo Correia.

Três temas importantes que irei levar também nesta missão: a economia do mar, transição energética e digital e, sobretudo, segurança cibernética e segurança da Internet, onde nós queremos contar com um forte suporte da União Europeia e temos sinais positivos nesta matéria“, Olavo Correia, perspetivando a reunião ministerial extraordinária da cooperação UE e Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste (PALOP-TL), que vai decorrer em Bruxelas de 28 de fevereiro a 1 de março.

Olavo Correia vai liderar a missão cabo-verdiana em Bruxelas, enquanto ministro das Finanças e do Fomento Empresarial, em reuniões que contarão com a presença da comissária da União Europeia para as Parcerias Internacionais, Jutta Urpilainen.

Tem a ver sobretudo com a promoção da boa governação, a promoção da transparência e a criação de condições para termos um Estado bem governado e que consegue governar com base em resultados para os cidadãos. E nós temos de ter um quadro institucional que possa permitir fazer isso. Um quadro legal em instituições fortes, mas também em recursos humanos altamente qualificados. E temos recursos a mais ao nível da União Europeia para, no quadro dos PALOP e Timor-Leste, continuarmos a investir nessa área. Melhores instituições, quadro legal mais moderno, mas sobretudo recursos humanos altamente qualificados“, perspetivou ainda.

Durante estas reuniões deverá ser assinada a convenção de financiamento em preparação do novo projeto de “Apoio à Governação Económica nos PALOP-TL” entre o Governo de Cabo Verde, em representação daqueles países de língua portuguesa, e a União Europeia.

MAIS: [Cabo Verde] Pagamentos do Estado será com faturas eletrónicas

Antecedendo a reunião dos ministros, os quadros técnicos das duas partes reúnem-se no dia 28 de fevereiro para procederem à finalização da agenda e dos documentos que serão submetidos à apreciação dos ministros dos PALOP-TL e dos representantes da União Europeia, coincidindo o evento com os 30 anos de cooperação entre os PALOP, Timor-Leste e a UE.

À margem dos encontros oficiais, Cabo Verde leva uma “agenda forte” à União Europeia, em três áreas fundamentais em que o país pretende “dar um salto importante”, disse Olavo Correia.

Uma primeira área tem a ver com alterações energéticas. A UE é um parceiro importante de Cabo Verde na promoção da alteração energética e nós temos um projeto ambicioso nessa matéria. A segunda área importante tem a ver com o mar, porque tem a ver com as infraestruturas aeroportuárias e, sobretudo, também, a ligação das infraestruturas com a transição energética e com a questão digital, que também é importante, que vai estar na minha agenda“, apontou.

Uma terceira área tem a ver com o digital e, sobretudo, no que tem a ver com a segurança cibernética, a defesa do nosso espaço digital, mas também a criação de condições para termos instituições fortes em Cabo Verde em matéria de promoção da segurança cibernética e da segurança da internet. E queremos que a UE seja um parceiro forte de Cabo Verde“, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui