Duas mil crianças desfavorecidas vão aprender informática até 2019

462

Hoje em dia temos poucas crianças em Angola a beneficiarem do uso das tecnologias de informação, com o intuito de massificar o uso da informática no país, a primeira turma de formação das 2000 crianças que vão aprender o curso de informática já começou.

Pois é, dez crianças desfavorecidas do Lar Mama Margarida estão desde ontem, em Luanda, a aprender informática no Centro Tecnológico Nacional (CTN), no âmbito do projecto de “Inclusão digital com conteúdos educacionais“, para formar duas mil crianças e adolescentes até 2019.

Segundo Luzia Barros (Coordenadora do projecto), trata-se da terceira temporada do projecto que se propõe atingir o maior número de crianças até Março de 2019, a mesma recordou ainda que, na primeira temporada, em 2015, no município do Cazenga, foram alvo mil crianças e na segunda temporada, que teve lugar em 2017, na província do Bengo, 500 petizes, dos quais 272 de quatro escolas primárias e as restantes de forma singular.

A par das outras edições, o projecto visa aferir o grau de conhecimento dos menores.   Na segunda fase foi possível saber que em crianças dos 8 aos 15 anos de idade das referidas escolas, 165 viram, mas nunca tocaram num computador, 83 tocaram, mas nunca usaram. Destes só 24 tinham domínio de informática.Com estes indicadores, o CTN, através das Políticas Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (PNCTI), propõe-se acabar com a desigualdade.

O projecto do CTN, afecto ao Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, comporta uma “Escola de Internet Solar Sumsung” móvel com capacidades de 22 computadores, uma impressora e um quadro digital interactivo, que é levado ao encontro das comunidades.