Filipe Nyusi. Sector das Comunicações em Moçambique tem ainda muitos desafios

892

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, considera que o sector das comunicações no país encontra ainda muitos desafios que precisam de ser ultrapassados, e onde aponta entre eles a contínua necessidade de expansão do acesso aos serviços de comunicações, melhoria da qualidade dos serviços prestados, bem como a segurança contra ameaças cibernéticas.

Filipe Nyusi proferiu essas palavras durante a gala alusiva ao 10° aniversário da Movitel, empresa de telefonia móvel, reconhecendo ainda da expansão da rede, onde o Governo inscreveu no seu Programa Quinquenal como prioridades, ressaltando também a implementação dos serviços de quinta geração (5G), expansão dos serviços de quarta geração (4G) para cobrir todas as sedes distritais e 50% dos postos administrativos do país.

Em um discurso modelado, o Estadista Moçambicano informou que pelos resultados alcançados até à data, o Executivo do país está encorajado com o desempenho do sector de telefonia móvel, principalmente aos serviços 4G, dos cerca de 154 distritos existentes no país, onde 139 já possuem esta tecnologia implementada pelas operadoras nacionais, o que correspondem a mais de 85% de execução.

Sobre a cobertura dos 50% dos postos administrativos planificados, o Presidente frisou que a execução situa-se em cerca de 66%, exortando, neste mesmo contexto, aos principais autores para que prossigam com as acções em curso para o cumprimento integral das metas.

Esperamos que a reforma legal em curso traga soluções esperadas sobre crimes cibernéticos, desde burlas e facilitação de sequestros até às transacções financeiras ilícitas que tendem a ganhar espaço com recurso às infra-estruturas e equipamentos das telecomunicações“, disse Filipe Nyusi.

MAIS: Moçambique: Lançada plataforma de denúncia às burlas com recurso a redes.

O Chefe de Estado sublinhou também que o mundo vive na era digital onde as transformações tecnológicas acontecem a uma grande veleocidade e, por isso, há toda a necessidade da Movitel e outras telefonias que operam no país, continuarem a inovar trazendo cada vez mais soluções aos problemas do quotidiano para o desenvolvimento do país.

É nossa expectativa que a empresa continue a apostar na formação e transferência de conhecimento para os técnicos moçambicanos. Ao celebrarmos este marco histórico da Movitel reiteramos o compromisso de trabalhar com os operadores da telefonia móvel para juntos assegurarmos o desenvolvimento de Moçambique“, acrescentou.

De informar que em 2011, o Governo moçambicano decidiu licenciar uma terceira operadora de telefonia, visto que o país contava com cerca de 7,9 milhões de subscritores de telefonia móvel numa população de cerca de 24 milhões de habitantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui