Funcionários da Angola Telecom continuam em greve passados uma semana

0
768

Os trabalhadores da Angola Telecom paralisaram os seus serviços há mais de uma semana, com a possibilidade de prorrogação nessa semana, caso a adiministração da empresa estatal não volte à mesa das negociações.

Segundo Lourenço Afonso, Secretário-Geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Telecomunicações e Afins de Luanda, falando ao semanário Valor Económico, diz que a entidade empregadora ameaça instaurar processos disciplinares e judiciais, até mesmo despedir os trabalhadores grevistas sob a acusação de a greve ser ilegal.

Para o Secretário-Geral, alega que esses pronunciamentos da direcção da empresa pública é uma clara “forma de intimidação”, fazendo com que os mesmos suspendam a greve, “sem qualquer cumprimento das promessas feitas a 24 de Dezembro do ano passado”, informando ainda que não “vão ceder às ameaças”, acrescentando que os funcionários estão determinados.

Se for para despedir, serão todos, não se pode ficar nesta situação“, disse Lourenço Afonso.

MAIS: Angola Telecom vai passar toda a sua infra-estrutura a empresas privadas

O Sindicato dos trabalhadores frisou que já denunciou a entidade empregadora à Inspecção Geral do Trabalho (IGT)  e à Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE), não esquecendo a possibilidade de levar até mesmo ao Presidente da República.

Entendemos que quem é o gestor ou çlíder deve ser altruísta na resolução de conflitos, não entrar na linha de vingança. Estamos a denunciar e vamos continuar. O sindicato está disposto a chegar ao Presidente da República, se calhar não deve ter o conhecimento do que acontece na Angola Telecom“, indicou Lourenço Afonso ao semanário angolano.

De acordo com uma nota oficial rubricado pelo Presidente do Conselho de Administração, Adilson Miguel dos Santos, reiterou a greve de “ilegal” e onde não descarta a possibilidade de abrir-se processos disciplinares aos trabalhadores que promovam ou adiram à mesma, além de responsabilizar os promotores judicial e criminalmente.

Descontar, na remuneração mensal dos trabalhadores aderentes, a remuneração correspondente ao período de adesão à greve ilícita“, pode ler-se na nota oficial da Angola Telecom.

Do caderno reivindicativo aque foi apresentado pelo Sindicato dos trabalhadores, no ano passado, ficou a promessa da Administração da Angola Telecom atender até Maio deste ano, onde constam actualização e o pagamento regular dos salários, a atribuição de melhores condições laborais, de assistência médica e medicamentosa, bem como o pagamento das compensações de reforma.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui