Google apoia a transformação digital em África e investe USD mil milhões

0
838

O Google anunciou que vai investir USD mil milhões em um período de cinco anos para apoiar a transformação digital em África.

Durante o primeiro evento do Google para a África realizado virtualmente esta semana, Sundar Pichai, CEO do Google e da Alphabet, disse que o investimento incluirá o desembarque do cabo submarino Equiano, que a empresa acredita que permitirá velocidades mais rápidas de internet e menores custos de conectividade.

Neste contexto, o reforço financeiro deverá apoiar Equiano, que passará pela África do Sul, Namíbia, Nigéria e Santa Helena e ligará o continente à Europa.

Pichai acrescentou que o investimento também inclui empréstimos a juros baixos para ajudar as pequenas empresas e investimentos de capital em startups africanas.

O Google acrescentou que utilizará um Black Founders Fund para investir em startups lideradas por africanos “fornecendo prêmios em dinheiro e suporte prático”.

O Google também divulgou detalhes de um Fundo de Investimento em África. Por meio desse fundo, a empresa investirá USD 50 milhões em startups e fornecerá a eles acesso aos funcionários, rede e tecnologias do Google para ajudá-los a criar produtos significativos para as suas comunidades.

Em colaboração com a organização sem fins lucrativos Kiva, o Google está fornecer USD 10 milhões em empréstimos a juros baixos para ajudar as pequenas empresas e empreendedores no Gana, Quénia, Nigéria e África do Sul a superar as dificuldades económicas criadas pela COVID-19.

O Google.org está a expandir o seu compromisso de apoiar organizações sem fins lucrativos que trabalham para melhorar vidas em toda a África, com USD 40 milhões para ajudar mais parceiros que estão a responder aos desafios que vêem em primeira mão nas suas comunidades – inovadores como a equipa Airqo da Makerere University, que usa a IA e sensores para monitorar a má qualidade do ar, uma das principais causas de morte prematura. O Google vai investir também USD 3 milhões em novos subsídios para expandir este trabalho pioneiro de Kampala em 10 cidades em 5 países no continente.

Pichai disse: “Fizemos grandes avanços juntos na última década – mas há mais trabalho a fazer para tornar a Internet acessível, acessível e útil para todos os africanos.”

O Google acredita que o acesso à Internet também é dificultado pela acessibilidade dos smartphones. O Android desenvolveu uma tecnologia de bloqueio de dispositivo como parte da plataforma Android que permitirá aos parceiros oferecer dispositivos financiados.

Para esse fim, o Google também anunciou a colaboração com a Safaricom no Quénia para lançar o que as empresas descrevem como o primeiro plano de “financiamento de dispositivo” no país da África Oriental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here