Google aprova que rede Truth Social, de Donald Trump, apareça na Play Store

611

A Truth Social, a rede social do ex-Presidente dos Estados Unidos Donald Trump, está desde esta quarta-feira disponível para transferência na Google Play, a loja de aplicações mais popular para os smartphones com sistema operacional Android.

A Google divulgou em comunicado que a aplicação do magnata republicano obteve acesso à plataforma porque está em conformidade com as diretrizes da empresa que, entre outras coisas, exige que as aplicações moderem efetivamente o conteúdo gerado pelo utilizador e removam mensagens que incitem à violência.

Em agosto, o Google tinha informado a Truth Social que esta não estava a cumprir várias das suas políticas e recomendou à rede social “sistemas eficazes” para moderar o conteúdo gerado pelos utilizadores, uma das condições essenciais para obter acesso ao Google Play.

A empresa proprietária, a Trump Media and Technology Group (TMTG), já tinha manifestado na semana passada a sua satisfação pela aplicação ter sido admitida na loja da Samsung nos Estados Unidos, a Galaxy Store.

A Truth Social, lançada em 21 de fevereiro, foi criada como alternativa ao Twitter, rede social onde Trump ainda se encontra banido, e está disponível desde o início na App Store, da Apple, sendo que também pode ser acedida desde ‘browsers’.

MAIS: Donald Trump pode voltar ao Facebook em janeiro de 2023

O facto de a aplicação não poder ser transferida até agora em modelos com Android afetou cerca de 44% dos utilizadores de smartphones dos EUA.

Trump, utilizou constantemente durante a campanha eleitoral de 2016 e enquanto chefe de Estado as redes sociais, em especial o Twitter, para comunicar com os seus seguidores.

O republicano acabou banido do Twitter, Facebook e YouTube após o ataque ao Capitólio em 06 de janeiro de 2021, o que o levou à criação do Truth Social para contornar esse veto.

Atualmente, Trump é seguido por 4,18 milhões de pessoas, em comparação com os 88,8 milhões no Twitter e 35,4 milhões no Facebook que tinha antes de ser banido, por encorajar apoiantes a invadirem o Congresso norte-americano para impedirem a certificação da vitória eleitoral do democrata Joe Biden.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui