Governo vai instalar mais de 500 estações meteorológicas em todo o país

1465

Angola vai contar com mais de 500 estações meteorológicas nos próximos tempos, no âmbito da segunda fase da modernização do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) e que permitirá uma maior cobertura das estações meteorológicas do país, salientando que o mapa meteorológico deverá ser acrescido tendo em conta a extensão territorial.

Segundo o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira, que falava no final da visita do ministro francês da Transição Ecológica e Coesão Territorial, Christophe Bechu, ao INAMET, a pretensão do Executivo Angolano é que essas estações meteorológicas possam cobrir o território nacional.

Foi ainda revelado o contrato global entre o INAMET e o Meteo France Internacional (MFI), para a modernização do INAMET, assinado em 2018, num orçamento de 180 milhões de euros. Para a primeira fase foi disponibilizado 67 milhões, sendo que a segunda fase contempla o apetrechamento do empreendimento social com tecnologias avançadas, com vista a melhorar a previsão do tempo e prover serviços meteorológicos de qualidade.

MAIS: Malanje ganha três novas estações meteorológicas

“Pretendemos chegar a 500, a instalação de estações meteorológicas no país, para se ter cobertura mais efetiva e a economia possa tirar proveito daquilo que é o trabalho da meteorologia”, disse Mário Oliveira, sublinhado ainda a inauguração do Centro Nacional de Previsão do Tempo no decurso deste ano.

Por fim, o Ministro Defendeu melhores ferramentas tecnológicas no INAMET, para a prevenção de “situações graves”, lembrando que atualmente as informações do INAMET já surgem na cadeia da Organização  Meteorológica Mundial.

De informar ainda que a par da modernização do Centro Nacional de Previsão de Tempo, Mário Oliveira disse que está em curso o projeto para a construção do Satélite de Observação da Terra, uma ferramenta que permitirá a Angola prever serviços variados, que poderão contribuir para o crescimento da economia nacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui