Ideias que estão a mudar mundos: Solarway e Winsenga

0
1759

Inovação

A inovação anda nas bocas do mundo, sobretudo quando o assunto é tecnologia. Ao virar de cada esquina, há uma revolução tecnológica e nós, que passamos, já não nos surpreendemos. Olhamos os produtos desta revolução com distanciamento, porque na maior parte das vezes nem sequer somos capazes de os encaixar nas nossas vidas. Perguntamos o que podem fazer por nós, eles desconversam.

Este fenómeno só tende a intensificar-se à medida que se multiplicam os lançamentos de produtos revolucionários. Sobretudo quando, na realidade, não são tão inovadores assim. Podem até incluir características ou aperfeiçoar funcionalidades que superam os seus antecessores, mas isso é o que chamamos de benfeitorias. Bem-vindas, é certo, mas inovação é outra coisa.

A inovação começa na ideia. Um impulso que nasce da observação de um problema e procura solucioná-lo. Quanto maior o problema, mais valiosa é a ideia que o resolve, de tal forma que algumas são capazes de mudar as nossas vidas de um dia para o outro. Essas sim são revolucionárias e ninguém fica indiferente aos produtos que originam. O que se segue são dois bons exemplos destes produtos que surgiram em África.

Solarway: uma visão brilhante

A Solarway utiliza a tecnologia fotovoltaica para desenvolver lanternas, lâmpadas e carregadores de telemóveis auto-sustentáveis.

Em todo o mundo existem milhões de pessoas sem acesso à rede de fornecimento de electricidade do seu próprio país. Só em África, estima-se que vivam cerca de 800 milhões de pessoas nestas circunstâncias. Para estas pessoas, a alternativa à escuridão são as lâmpadas de querosene ou parafina, fontes de energia que além de dispendiosas representam um perigo para a saúde e o ambiente.

Por outro lado, dependem dos telemóveis para cumprirem as suas actividades diárias e contrariarem o isolamento. Chegam a percorrer dezenas de quilómetros a pé só para carregar a bateria dos seus telemóveis.

A inovação da Solarway não está na utilização de painéis fotovoltaicos para recolha da energia essencial ao funcionamento dos aparelhos que desenvolve. Está na visão de um dos seus últimos lançamentos. Uma estação para carregamento de telemóveis e smartphones, compatível com qualquer modelo e capaz de carregar 14 equipamentos em simultâneo. Assente numa estratégia diferenciadora, esperam contar com o interesse dos operadores de telecomunicações locais para levarem energia verde e gratuita a qualquer ponto do globo, mesmo os mais remotos.

O impacto desta ideia foi de tal ordem que este produto acaba de ser considerado o dispositivo do Ano para África, na edição de 2014 dos Africacom Awards.

Winsenga: uma app para a vida

Mas, se chamamos revolucionárias às ideias capazes de transformar vidas, o que chamar às ideias que as podem salvar?

De acordo com as estatísticas publicadas em 2011 pelas Nações Unidas, morrem em todo o mundo 8 milhões de bebés antes ou durante o parto ou na primeira semana de vida e, a cada minuto, uma mulher morre vítima de complicações pós-parto ou durante a gravidez. Tendo em conta que 99% destes casos ocorrem em países subdesenvolvidos, em particular na África subsariana, uma equipa de estudantes ugandeses percebeu que era urgente agir.

Em países como o Uganda, onde os centros hospitalares estão a várias dezenas ou centenas de quilómetros de distância das comunidades locais, as parteiras desempenham um papel crucial nos cuidados de saúde durante a gravidez e do pós-parto.
Para realizarem o diagnóstico pré-natal, estas parteiras continuam a usar o estetoscópio de Pinard, um instrumento do século XIX que monitoriza os sinais vitais do feto. É verdade que, através deste instrumento, é possível realizar um diagnóstico correcto e pormenorizado. O problema está no utilizador que precisa de muitos anos de experiência para saber interpretar correctamente o que escuta através dele.

Foi com a identificação deste problema que nasceu o Winsenga. Uma aplicação para Windows Phone que analisa os sons recolhidos através de uma versão melhorada do estetoscópio de Pinard, equipado agora com um microfone de alta sensibilidade. Como refere Okello, um dos responsáveis pelo produto, a app “desempenha o papel do ouvido da parteira”, o que anula o que era a principal fonte de erro no diagnóstico.

Além de ser uma solução de baixo custo, o Winsenga beneficia ainda da ampla difusão da utilização de telemóveis em África e do facto de não quebrar o uso centenário do estetescópio de Pinard. Em 2012, o Winsenga foi um dos finalistas do Imagine Cup, uma competição internacional promovida pela Microsoft. Não saíram vencedores, mas na verdade os vencedores aqui são outros.

A inovação destes projectos está na imaginação. Eles inovam porque concretizam uma ideia que é de facto capaz de mudar o estado de coisas. E uma ideia é sempre um bom princípio para mudar o mundo. Problema a problema.

___________________________________________________________________________
Este texto foi escrito por Bruno Pereira da Kaymu para o MenosFios.com