Isabel dos Santos defende uma revolução digital em África

1038

Isabel dos Santos defendeu esta quarta-feira, 9 de janeiro, no Parlamento Europeu, que um dos grandes desafios que se coloca a África “é saber como vai ser digital”. A empresária afirmou que para sermos competitivos temos que usar tecnologia e temos, acima de tudo, que educar a população para que saiba utilizar essa tecnologia.

A empresária disse que “depois da revolução das telecomunicações móveis, a próxima revolução em África será a digital. Em pouco tempo, haverá mais vendas e transações por e-commerce do que nas lojas tradicionais, e a primeira vez que muitos africanos terão conta bancária será na banca digital”.

De acordo com Isabel dos Santos, que participou como oradora na “Africa Summit 2019”, uma cimeira organizada pelos Reformistas e Conservadores Europeus, um grupo político do Parlamento Europeu, a aposta no desenvolvimento tecnológico em África passa por dar resposta a questões fulcrais como a estabilidade e continuidade do quadro legal, na atração de investimento e a criação de emprego, que devem ser tidas como prioritárias para que o continente se torne apelativo e capaz de reter o talento jovem.

Afirmou ainda que, o planeamento urbano e a agricultura são outras duas áreas onde se colocam os desafios tecnológicos. “Transportes públicos com conforto, segurança e a preços acessíveis representam ainda uma questão sem solução na maior parte das cidades africanas. É fundamental aplicar a tecnologia no planeamento urbano e em cidades inteligentes africanas, que permitam melhorar a qualidade de vida e otimizar custos”.

Se queremos um sector agrícola competitivo em África teremos de apostar na Tecnologia agrícola de ponta, ou noutro tipo de desenvolvimento tecnológico que possibilite uma otimização de custos, sermos competitivos e eu acredito que para isso é essencial a capacitação de governos e populações, para que deixem de ter receio destes novos conceitos”, disse Isabel dos Santos.