Moçambique. Mulheres capacitadas em Tecnologias de Informação e Comunicação

0
411

Mais de noventa mulheres moçambicanas, com idades entre 18 e 25 anos, foram formadas este ano, na cidade de Maputo, em matérias de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), no âmbito do projecto MuvaTech, programa implementado pela Associação de Nutrição e Segurança Alimentar em parceria com o Programa de Empoderamento Económico Feminino (MUVA) e o Conselho Municipal de Maputo (CMCM).

O projecto MuvaTech é um programa que tem como objectivo capacitar raparigas em situação de vulnerabilidade, em matérias de TIC e em formação humana, onde segundo informações reveladas por Kerry Selvester, responsável do Muva, das mais de 90 raparigas selecionadas, 88 terminaram o curso com sucesso e lhes foram oferecidas estaágios remunerados durante dois anos.

Trinta e oito por cento destas mulheres estão no emprego formal pós estágio, 25 por cento em negócios próprios, cinco por cento em auto-emprego e sete sem nenhuma ocupação“, disse.

MAIS: Moçambique. BAD disponibiliza financiamento para ajudar as “founders” no país

Para Selvester, diz que a nível global há disparidades consideráveis de uso e no acesso ás tecnologias digitais e que em Moçambique as desigualdades manifestam-se principalmente em género e pobreza.

De acordo com uma investigação feita nas zonas suburbanas das cidades de Maputo e Beira, mostrou que apenas 13 por cento de jovens do padrão mais baixo utilizam computadores com frequência.

Viver em agregados familiares mais pobres reduz as oportunidades dos jovens interagirem regularmente com as TIC”, frisou Kerry Selvester.

Por outro lado, o Presidente do Conselho Municipal de Maputo, Eneas Comiche, sublinhou que os resultados partilhados nessa formação mostram que as adolescentes jovens merecem uma atenção pública, visto que continuam a enfrentar vários desafios para uma transição saudável da infância à vida adulta.

A capacitação técnico-profissional facilita o empoderamento de jovens e mulheres, em particular as que se encontram em situação de vulnerabilidade e promove a integração destes no mercado de trabalho, onde o conhecimento digital faz muita diferença“, afirmou Eneas Comiche.

A nossa estrégia na capacitação profissional no ramo digital visa desenvolver uma educação orientada para as demandas do mercado de trabalho e atender às necessidades em termos de avanços tecnológicos, bem como ao aumento de produção, produtividade e competividade“, finalizou.

As beneficiadas da formação tecnológica enalteceram o projecto MuvaTech, que lhes possibilitou, para além dos conhecimentos em tecnologias digitais, o emprego.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui