O crescimento das TICs em Angola depois da Paz

1637

Angola, depois das assinaturas de acordos de Paz, entrou numa nova era que foi de recuperação e de abrir-se mais ao mundo e diante disso, o crescimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), desempenharam e continuam a desempenhar um papel importante em vários sectores.

Ao longo dos 16 anos de Paz, o mercado nacional das TICs registou um crescimento considerável e permitiu maior abertura no país. As operadoras de telefonia em Angola conseguiram expandir os seus serviços em várias áreas do território nacional e não só.

Os avanços tecnológicos ocorridos em Angola depois do calar das armas, têm relevância nos sectores público e privado, bem como nos contextos social, político e econômico. As modificações ocasionadas nos processos de desenvolvimento, e suas consequências na democracia e cidadania, convergem para uma sociedade caracterizada pela importância crescente dos recursos tecnológicos e pelo avanço das TICs com o impacto nas relações sociais, empresariais e nas instituições.

Um dos factores responsáveis pelas profundas mudanças no mundo são as TICs. Desse modo, com a dinâmica de inovação, as TICs são imprescindíveis para o desenvolvimento da economia mundial.

Angola tem estado a implementar vários projectos tecnológicos que não eram possíveis no tempo de instabilidade. O país hoje está de par e passo com as mudanças que o mundo das TICs tem estado a registar, a sociedade mais mergulhadas nas redes sociais, ferramentas que muito tem ajudado na divulgação da imagem do país pós guerra.

Ao longo dos 16 anos de Paz em Angola, registar-se crescimento de utilizadores de internet, houve aumento na utilização de equipamentos tecnológicos, desde computadores pessoais, tablets e smartphones.

Na administração pública, é notória a progressiva aplicação e abrangência das TICs, sobretudo com o uso da internet nas diferentes esferas do governo. A ligação do país com outros continentes por via de  cabos submarinos, bem como o lançamento do satélite, são projectos que visam a fortalecer cada vez mais o crescimento das TICs em Angola.

Mais ainda precisamos melhorar e principalmente, dar maior abertura no mercado de telefonia móvel, permitir a entrada de mais operadoras nessa área. Precisamos de fortalecer cada vez mais a formação de técnicos especializados com vista a assegurar as diversas infraestruturas que estão cada vez mais a surgir.