Registradas mais de 60 burlas pelo “Multicaixa Express” nos últimos dois anos

1252

Mais de 60 fraudes foram detectadas utilizando o aplicativo “Multicaixa Express”, nos últimos dois anos, segundo dados da Associação Angolana de Defesa do Consumidor de Serviços e Produtos Bancários (ACONSBANC).

De acordo com Nelson Prata, Presidente da ACONSBANC, informou que a sua instituição regista em média um a dois casos de fraudes/dia, onde para minimizar o fenómeno, a mesma tem publicado alertas com instruções precisas para que os consumidores e clientes não “se deixem enganar“.

O Presidente disse ainda que a Empresa Interbancária de Serviços S.A (EMIS) e o Banco Nacional de Angola (BNA), enquanto entidades gestora da rede e licenciadora do sistema financeiro angolano, estão atentos ao fenómeno e têm estado a trabalhar no sentido de mitigar as fraudes.

Infelizmente, os que se dedicam a essa prática de fraudes também estudam e nem sempre conseguimos nos antecipar aos mesmos”, disse Nelson Prata.

MAIS: EMIS vai reforçar os mecanismos de segurança do Multicaixa Express

Foi também revelado que entre as reclamações mais recorrentes, apresentadas pelos consumidores, destacam-se as enchentes nos Terminais de Multicaixas – ATM, falta de carregamento dos mesmos, fraudes com cartões, movimentações indevidas nas contas dos clientes, movimentações nas contas detidas por clientes falecidos, bem como morosidade no atendimento.

Sobre às reclamações, Nelson Prata acrescentou que a associação registou, desde 2020 até ao primeiro trimestre do corrente ano, mais de 700 reclamações. Deste número, esclareceu o presidente da ACONSBANC, a associação resolveu 68 casos, o que representa cerca de 10 por cento.

Para nós, esta percentagem não é satisfatória porque a grande maioria dos bancos ainda olha para a ACONSBANC com alguma desconfiança”, denunciou, depois de destacar que até agora nenhum caso foi transferido para os tribunais.

Embora a Lei nos dá a prerrogativa de intentar acções colectivas no âmbito do associativismo de defesa do consumidor, ainda não pusemos mão à essa prerrogativa, o que poderá ocorrer a qualquer momento, em função da inércia de algumas instituições bancárias“, declarou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui