EMIS vai reforçar os mecanismos de segurança do Multicaixa Express

829

A Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), que opera as caixas e terminais de pagamento automático em todo o território nacional, vai reforçar os mecanismos de segurança do canal digital Multicaixa Express.

Segundo o administrador-executivo da Emis, Pedro de Abreu, que falava no Fórum de Inclusão Financeira para o Desenvolvimento, essa decisão de reforçar o aplicativo é tendo como base o número de transações que são feitas no aplicativo, que tem aumentado nos últimos anos.

Há três anos tivemos 1,5 milhões de transações, no ano passado tivemos 350 milhões de transações. Estamos a falar de uma subida muito, muito, considerável”, disse Pedro de Abreu.

Na sua abordagem, o gestor não esqueceu de mencionar a questão das burlas frequentes que o Multicaixa Express tem sido alvo nos últimos tempos, onde no último mês registaram-se preocupações relativas a questões de segurança do aplicativo, e nesse sentido a empresa vai, nos próximos tempos, lançar mais validações, melhorar o processo de aprovação das operações, com mais mensagens de validação.

Por exemplo, de x em x utilizações vai ter que receber um código no telefone para garantir que é a pessoa, vamos tentar validar a origem dos códigos, vamos acertar os limites de utilização”, frisou o Administrador.

É muito importante que se diga que este compromisso de segurança e conveniência é um compromisso difícil. Se calhar, conseguiríamos trancar a fraude não tendo Multicaixa Express, mas precisamos desse tipo de ferramentas e, portanto, temos que fazer um equilíbrio entre a segurança e a conveniência”, destacou Pedro de Abreu.

O responsável acrescentou ainda que a fraude nos meios de pagamento é um fenómeno global, visto que o número de iniciativas digitais tem sido cada vez maior.

Temos de facto um conjunto de medidas que eu penso que vão ajudar a diminuir essa questão da fraude, ela não vai desaparecer, nós não estamos a corrigir falhas do sistema, nós vamos é tornar os processos de validação e de utilização da ferramenta mais resilientes e menos propensos a fraudes”, indicou.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui