São-Tomé ganha primeira rádio digital criada por jovens

1107

A União Europeia financiou através do projeto Procultura a Rádio Somos Todos Primos (RSTP), a primeira rádio digital são-tomense, criada por jovens que querem contribuir para o aprofundamento da liberdade de imprensa e da democracia no país.

A RSTP é uma rádio ‘online’ fundada há mais de 12 anos por jovens são-tomenses, residentes na altura em Portugal, para a promoção da cultura, músicas e acontecimentos de São Tomé e Príncipe.

Com o financiamento da União Europeia e da Cooperação Portuguesa, nos últimos dois anos a RSTP adquiriu equipamentos e formou colaboradores em São Tomé, tendo inaugurado hoje o estúdio de produção e emissão na capital são-tomense.

Nós acreditamos na RSTP e no impacto que este projeto está a produzir no nosso país e estamos disponíveis a trabalhar mais e cada vez melhor se todas as condições estiverem criadas […], a nossa ambição é transmitirmos a Rádio Somos Todos Primos para todo o território nacional em FM e tudo faremos para atingirmos esta meta“, afirmou o diretor e fundador da RSTP, Guedes Medeiros.

A adida da cooperação da Embaixada de Portugal em São Tomé e Príncipe, Paula Pereira, sublinhou que a RSTP “foi o primeiro projeto aprovado no país pelo Procultura – projeto de promoção do emprego em atividades geradoras de rendimento do setor cultural, nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste-, financiado pela União Europeia, cofinanciado e gerido pelo Camões I.P e cofinanciado pela Fundação Calouste Gulbenkian”.

Segundo Paula Pereira, o apoio foi “fruto do reconhecimento do potencial e do trabalho que estava a ser feito e da expectativa de uma real contribuição da diversidade cultural, à cidadania em São Tomé e Príncipe e para a criação de valor económico também através de criação de postos de trabalho sustentável e duradouro“.

Além do financiamento do projeto Procultura, a RSTP recebeu este ano um apoio através do fundo de pequenos projetos da Cooperação Portuguesa “para reforço da capacitação dos colaboradores e para a aquisição de material técnico adicional“.

MAIS: [Moçambique] Rádio Moçambique vai apostar na digitalização

Para Paula Pereira, a história da RSTP é prova que “a juventude são-tomense é o maior ativo do desenvolvimento do país e deve ser devidamente apoiada“.

Estes apoios à RSTP estão alinhados com algumas importantes prioridades da União Europeia, nomeadamente no que diz respeito a criação de empregos particularmente para os jovens, ao fomento da digitalização e a construção de sociedade plurais e inclusivas“, afirmou o representante da União Europeia em São Tomé e Príncipe.

Davide Morucci sublinhou que, no ano passado, a Missão de Observação Eleitoral da União Europeia doou alguns equipamentos eletrónicos à RSTP e felicitou a equipa do órgão privado pela dedicação e trabalho que permitiu que se tenha estabelecido “como um ator importante na disseminação de informação aos cidadãos, fornecendo serviços de qualidade e ampliando o programa dos meios de comunicação social em São Tomé e Príncipe“.

O ministro da Presidência do Conselho de Ministro e Assuntos Parlamentares, Gareth Guadalupe, que tutela o setor da comunicação social são-tomense, disse acreditar que a RSTP contribuirá para “promover a concorrência ao nível da comunicação social” no arquipélago, considerando que “a competição é muito reforçada por informações com rigor, com isenção“.

“Nós, enquanto Governo, temos sempre que abraçar essas iniciativas porque queremos acreditar que com a concorrência mais facilmente consegue-se chegar à liberdade de imprensa“, sublinhou Gareth Guadalupe.

A ministra da Juventude e Desporto, Eurídice Medeiros disse esperar que a resiliência e o trabalho da equipa da Rádio Somos Todo Primos seja “um exemplo para outros jovens“.

Que continuem a levar a voz do povo a todos os são-tomense nos quatro cantos do mundo“, disse Eurídice Medeiros.

A RSTP é a primeira rádio digital com emissão 100% ‘online’ de São Tomé e Príncipe com conteúdos audiovisuais transmitidos no ‘website’ www.rstp.st e pelas redes sociais Facebook e YouTube.

O jornalista e fundador do jornal digital privado Téla Nón, Abel Veiga, sublinhou que “com esse salto importante” da RSTP abre-se também um “horizonte de esperança e oportunidade para os profissionais da comunicação social”.

Abel Veiga apelou aos membros da RSTP para que “sejam, como têm sido, determinados, profissionais, gentes com confiança” e que continuem a fazer o “trabalho magnífico que têm feito de unir os são-tomenses” dentro e fora do país e informando sobre “questões e assunto que interessam”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui