Startup Kubinga e empresa sul-africana estreitam parcerias na IATF 2021

0
691

A startup Kubinga e a “Loita Capital Partners”, empresa de direito sul-africana, vão estreitar relações económicas nos próximos tempos, tendo em conta o interesse manifestado de parceria entre as duas empresas na 2° edição da Feira Intra-Africana de Comércio, uma iniciativa do Banco Africano para Exportações e Importações (Afreximbank), que terminou no último dia 21.

De acordo com as palavras de Emerson Paim, CEO da startup angolana, a sua entidade enviou um acordo de partilha de informação e restrição à parte interessada, que é a Loita Capital Partners, no sentido de garantir que os dados da Kubinga não sejam usados de forma fraudulenta, como já aconteceu no passado.

Depois desse processo de envio de partilhas, continua o Founder, partir-se-á para o processo de negociação e definição de detalhes do negócio.

“Nós ainda não negociamos. Tivemos uma primeira conversa e nesse momento estou a escrever um e-mail sobre um acordo de partilha de informação e restrição para entregar ao potencial investidor”, disse Emerson Paim.

A startup Kubinga consiste em um aplicativo de smartphone que conecta passageiros e motoristas, onde o negócio se concretiza quando uma pessoa interessada em deslocar-se para um sítio ao redor de Luanda solícita um táxi por via da plataforma Kubinga,  e o motorista mais próximo do cliente pega-o.

MAIS: Kubinga revela dados da sua facturação após estado de emergência

Neste modelo de negócio, onde Emerson Paím define como “partilha económica”, o proprietário das viaturas são os particulares, que tendo uma ou mais viaturas disponíveis se oferecem em prestar o serviço de transporte quando solicitados pelo Kubinga, a partir do ponto em que estiverem.

Emerson Paim ainda afirmou que dos rendimentos provenientes das corridas,  75% vai para o dono da viatura e 25% para Kubinga.

Pelo que a redacção do MenosFios apurou, embora que em Março de 2020 a startup angolana tenha tido uma quebra devido ao confinamento decorrente das restrições de mobilidade por causa da Covid-19, nomeadamente o Estado de Emergência declarado pelo Executivo Nacional, a mesma tem sido bem sucedida nos últimos meses.

Esse aumento económico da empresa tecnológica, nesse periodo, tem muito a haver com o serviço designado “Carteira corporativa”, diz Emerson Paím, que permite que empresas, que têm viaturas pouco usadas durante o dia possam dispô-las ao serviço de táxi da Kubinga. Nesse serviço, acrescenta o Gestor,  se uma empresa transporta seus trabalhadores de manhã e depois no final do dia, pode dispor a viatura para serviço de táxi para rentabilizá-la.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here