Técnicos nacionais formados sobre como trabalhar com o Angosat-2

1254

Arrancou recentemente a formação do curso de Comunicação Via Satélite, que vai capacitar vários técnicos angolanos a compreender determinadas possibilidades do sector espacial, agora com a colocação em órbita do satélite ANGOSAT-2.

Segundo o que foi revelado pelo coordenador do programa especial do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN), Gilberto Gomes, o total dos 18 técnicos vêm das faculdades de Engenharia e de Ciências, da Universidade Agostinho Neto e do Instituto Superior de Tecnologias de Informação e Comunicação (INSTIC), destacando especialistas das províncias de Benguela, Huambo e Uíge, onde o ciclo formativo vai ajudar na aproximação dos serviços de telecomunicação dos usuários.

O curso com a duração de cinco dias, dos quais três de teoria vão ser ministrados na Faculdade de Engenharia e os dois de prática no Laboratório da empresa INFRASAT, na Funda, vai fornecer conhecimentos minuciosos e habilidades necessárias para gestão das instalações, manutenção e solução de problemas gerais da rede de comunicação via satélite no país”, informou o coordenador.

Gilberto Gomes frisou ainda que o objetivo da formação é melhorar a qualificação e a capacitação dos engenheiros e dos técnicos do Network Operation Center (NOC), bem como dos instaladores e técnicos de campo, responsáveis pela gestão da rede e ainda a ativação de todo o tipo de terminal VSAT.

Localização do Angosat-2 (Atualizado as 15:34 do dia 29 de Novembro de 2022)
Localização do Angosat-2 (Atualizado as 15:34 do dia 29 de Novembro de 2022)

Os serviços a serem colocados a disposição do público, disse, vão apoiar a Teleducação a distância e a Telemedicina. Os testes sobre a implementação destes projetos já foram feitos, através da comunicação via satélite.

MAIS: Angosat-2 vai impulsionar o sector do Petróleo e Gás

Quanto as valências do facto de o Angosat-2 estar em órbita, o técnico do GGPEN destaca que são muitos, entre estes, a melhoria na comunicação, por meio dos investimentos na rede de telecomunicação terrestre, sem fios e satélite.

Com a instalação VSAT vai ser possível as instituições bancárias terem melhor facilidades em abrir mais dependência nas zonas de difícil acesso”, salientou.

Por fim, o coordenador do programa especial frisou que o ANGOSAT-2 é uma infraestrutura que vai servir de base para apoiar as telecomunicações do país, em especial as redes metropolitanas de fibra óptica.

Já Martins Bimba, do Huambo e um dos formandos, salientou que a frequência do curso vai ser uma mais-valia na divulgação de conhecimento ligados aos satélites, em particular o Angosat-2.

A formação vai permitir ajudar a assegurar os serviços de telecomunicações no país”, mencionou.

Confira abaixo algumas imagens do ciclo formativo.

This slideshow requires JavaScript.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui