União Europeia disponibiliza 5 milhões de euros para incubadoras nacionais

0
1607

A embaixadora da União Europeia em Angola, Jeannette Seppen, e o vice-presidente da International Finance Corporation (IFC) para Africa, Sérgio Pimenta, formalizaram no dia de hoje(09), a assinatura conjunta do acordo de implementação do Projecto de Apoio às Incubadoras e Empreendedorismo, em um evento que contou com a presença da equipa da MenosFios e de convidados do Governo angolano.

De acordo com as palavras da embaixadora da União Europeia, Jeannette Seppen, o projecto representa “um alicerce fundamental para o estabelecimento de parcerias construtivas entre vários actores, que permitirá estimular a criação de empregos decentes para todos”.

O nosso país vai receber cinco milhões de euros, com objectivo de apoiar e fomentar o empreendedorismo ao longo de cerca de 56 meses e em concreto trabalhar com incubadoras de negócio relacionadas com os sectores de Finanças e Tecnologia, bem como o sector agro-industrial e produção avícola. Além de Angola, o programa vai englobar outros países africanos, nomeadamente Etiópia, Madagáscar e Somália, sendo que o valor total disponibilizado pela União Europeia no respectivo programa será de 23 milhões de euros.

MAIS: União Europeia e o músico CFK juntam-se para masterclass sobre empreendedorismo

De acordo com informações disponibilizadas aos jornalistas sobre o referido programa, o mesmo tem como principais objectivos de intervenção é fomentar o emprego e a sustentabilidade económica, tendo como base a Agenda 2030 e a Aliança África Europa para o desenvolvimento sustentável e o emprego, criando para o efeito parcerias sociais e económicas com os países africanos. De referir ainda que este novo projecto de apoio às incubadoras de negócios permitirá criar cadeias de valor e melhorar o acesso ao mercado, especialmente para jovens empreendedores e mulheres empreendedoras.

Em território angolano, a União Europeia trabalha em parceria com o Governo nacional no sentido de reforçar o sector privado, propiciar a criação de empregos e melhorar o ambiente de negócios, de forma a orientar a economia para além do sector petrolífero e gerar empregos e valor acrescentado para o país.

A União Europeia financia, actualmente, diversos programas, nomeadamente de apoio às actividades geradoras de rendimento no sector cultural, de apoio ao comércio e às exportações, de reforço do sector privado através da facilitação do financiamento para as Médias e Pequenas Empresas, entre outros.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui