Zâmbia e Namíbia beneficiam-se do AngoSat-2 a partir de 2024

1037

Os serviços do Angosat-2 vão estar disponíveis para os operadores de comunicações da Zâmbia e Namíbia já a partir de 2024, segundo o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira.

Falando à margem da Conferência das Partes – COP28, que decorre desde 30 de Novembro até 12 deste mês, na Expo City Dubai – Emirados Árabes Unidos, o responsável informou há negociações em curso com os operadores estrangeiros, acrescentando que o satélite, como tal, está em condições de prover qualquer tipo de serviços de comunicações.

As negociações continuam, quer com a Zâmbia quer com a Namíbia ou com os outros países. Estamos em crer que, no próximo ano, as coisas poderão ser uma realidade a nível interno e noutras regiões”, disse.

MAIS: Indústria extrativa entre os principais beneficiados das soluções tecnológicas do Angosat-2

O ministro considerou importante o Angosat, por ser um satélite normal como os outros milhares existentes na órbita terrestre.

Os operadores nacionais têm estado a requerer serviços por via do Angosat, porque é a grande auto-estrada de comunicações que o país tem, onde os operadores colocam à disposição os serviços”, frisou.

Conforme afirmou Mário Oliveira, os serviços móveis no país já utilizam o Angosat. No âmbito da responsabilidade social do MINTTICS, o Angosat tem servido de suporte a um novo serviço público de telecomunicações, que é o Conecta.

O Conecta está a crescer. Iniciou no Leste, mas vai chegar a todo o país. Numa única palavra, hoje, falamos dos serviços do Angosat”, disse o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui