Angola contará com Centro de Estudos, Respostas e Tratamento de Incidentes Informáticos

0
1384

Angola vai contar nos próximos tempos com um Centro de Estudos Respostas e Tratamento de Incidentes Informáticos (CERT), de acordo com  Director Nacional de Cibersegurança do Ministério das Telecomunicações Tecnologias de Informação e Comunicação Social (Minttics) Hediantro Wilson Mena.

De acordo com o  Hediantro Wilson Mena, o CERT vai garantir a segurança e a invulnerabilidade dos dados do empresário e terá a missão de reportar todos ataques às empresas e particulares. E defendeu ainda a necessidade de Angola aderir a convenção de Budapeste enquadrada na luta contra os crimes informáticos.

A adesão de Angola à convenção, argumentou, vai facilitar a cooperação internacional com outros países. “ Aderindo à Convenção, Angola irá cooperar internacionalmente com uma legislação harmonizada, visto ser fundamental para que os crimes não sejam imune”.  Avançou que não existe no ordenamento jurídico-penal a tipificação relacionada a crimes cibernéticos, apesar de existir legislação que permite tipificar algumas condutas ilícitas inerentes a estas práticas de crimes. “Esta constitui outra tarefa a vencer”, concluiu.

Para reduzir no futuro crimes Cibernéticos na economia, vai ser elaborado brevemente uma Estratégia no sector que incidirá em aprofundar a segurança das redes como forma de garantir a protecção e defesa das infra-estruturas críticas e dos serviços vitais de informação, e potenciar uma utilização livre, segura e eficiente do ciberespaço por parte das empresas públicas, privadas e do cidadão.

Wilson Mena defende ainda que a cibersegurança deve envolver a protecção das chamadas infra-estruturas críticas, porque segundo ele, a implementação de medidas de seguranças das infraestrutura das TIC é feita de forma independente. Por outro lado, alertou que para reduzir os assaltos aos bancos, empresas, e telemóveis deve-se mudar com regularidade os “passeword”.

“ É imperioso a adopção de uma Estratégia Nacional de Cibersegurança para Angola, que estabeleceria a sua visão e os objectivos estratégicos com relação à Cibersegurança. A estratégia deve fornecer detalhes sobre o quadro de implementação”.

O combate ao Cibercrime, protecção do ciberespaço e das infra-estruturas, educação, sensibilização e prevenção, cooperação e a elaboração de Estratégia Nacional de Cibersegurança que deve ser encarada com um problema político, social, económico, gestão, policial fazem parte do programa a implementar, afirmou o Hediantro Wilson Mena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here