Angosat-2: Concluída a construção da antena para os Testes em Órbita

1
1359

Já está concluída a construção da antena para os Testes em Órbita (IOT) da banda Ka, no âmbito do projecto ANGOSAT, antes do envio paraa capital do país e ser instalada no Centro de Controlo e Missão de Satélites (MCC), localizado na Funda.

Segundo o que é revelado pelo Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN) os testes de aceitação final da antena IOT decorreram entre 10 e 14 de Janeiro de 2022, na Itália. Com essa conclusão, espera-se que chega a Luanda, na primeira quinzena do mês de Março de 2022, sendo que a montagem e instalação no MCC está igualmente prevista para Março de 2022.

De informar que os trabalhos de montagem e testes serão acompanhados pelos especialistas do GGPEN, e onde prevê-se igualmente a formação de 15 especialistas do GGPEN em matéria de operação e manutenção da referida antena.

MAIS: Angosat-2 poderá ser lançado no segundo trimestre de 2022

Pelo que foi divulgado pelo ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS), Manuel Homem,  o desenvolvimento do Angosat-2 segue actualmente sem constrangimentos, e quanto aos possíveis problemas no processo de desenvolvimento do satélite angolano, revelou não haver nenhum constrangimento, até ao momento, e onde observou que as equipas dedicadas ao projecto estão empenhadas no cumprimento do cronograma, que prevê, entre outros pontos, a conclusão e o lançamento do satélite, o que poderá ocorrer já no primeiro semestre deste.

O Angosat-2 está feito acima dos 60%, e tem algumas inovações e correcções dos erros cometidos no Angosat-1, nomeadamente uma transmissão sete vezes mais do que o primeiro aparelho, que tinha 16 “transponders” (retransmissores) na Banda C e seis na Banda KU.

O Angosat-2 terá ainda seis “transponders” na Banda C, 24 na Banda KU e, como novidade, será acrescentado um retransmissor na Banda KA.

Com o peso total de duas toneladas, o Angosat-2 será ainda um satélite de Alta Taxa de Transmissão (HTS) e disponibilizará 13 gigabytes em cada região iluminada (zonas de alcance do sinal do satélite). O satélite será baseado na plataforma Eurostar-3000 e o tempo de vida útil será de 15 anos.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui