Angosat-2 permite o uso da telemedicina nos hospitais do Lubango

1560

A assistência médica com recurso à telemedicina começou já a dar os primeiros passos na província da Huíla, face à conexão dos hospitais central do Lubango, Dr. António Agostinho Neto e do município da Jamba, e que é uma das vantagens da receção do sinal do ANGOSAT-2.

Segundo uma reportagem feita pelo JORNAL DE ANGOLA, o hospital central do Lubango recebeu o sistema tecnológico Vesat, que permite a interligação das unidades sanitárias locais com outras de referência de vários pontos do país e não só.

Para o diretor Clínico do Hospital da Jamba, Ericleiton Franco, é de agradecer o facto da nova tecnologia de comunicação começar a contemplar as unidades sanitárias das zonas mais recônditas das sedes das províncias, permitindo assim uma melhor interação dos especialistas da medicina de várias áreas e encontrar-se soluções precisas e rápidas dos pacientes.

MAIS: A telemedicina é uma realidade em várias províncias do país, sublinha ministro

O também médico frisou que os serviços de saúde estão a merecer uma transformação tecnológica qualitativa com vista a passar a dar diagnósticos precisos e céleres aos pacientes, sobretudo para os casos complexos que forçavam a maioria dos doentes e respetivas famílias a se deslocarem para Oshakati, província da República da Namíbia.

Por fim, considerou ser uma experiência de enaltecer os feitos do ANGOSAT-2 por estar a permitir aos profissionais de saúde e não só desenvolverem a sua atividade com mais certeza nos diagnósticos dos casos “mais complexos de pacientes sobretudo sem recursos para se deslocar à Namíbia“.

Estamos a interagir com os colegas de várias unidades hospitalares de diversos pontos do mundo e, com a particularidade do fator língua, em nenhum momento está a obstaculizar a abordagem técnica e científica dos diversos casos que têm sido avaliados”, disse o dermatologista, Salomão Gonçalves.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui