China cria uma máquina que vai exercer a função de promotor de justiça

2077

Cientistas chineses desenvolveram uma máquina com inteligência artificial(IA), capaz de exercer a função de promotor de justiça e deixar que, de forma autônoma, caracterize, recomende e decida acusações por crimes comuns, como fraude em cartão de crédito, operação de jogos de azar, direção perigosa, lesão intencional, obstrução de funções oficiais, roubo e vandalismo.

O “promotor” com a IA pode abrir uma acusação com mais de 97% de precisão com base em uma descrição verbal do caso, de acordo com os pesquisadores. A máquina foi construída e testada pela Procuradoria Popular de Shanghai, a maior e mais movimentada promotoria distrital do país. A tecnologia pode reduzir a carga de trabalho diária dos promotores, permitir com que se concentrem em tarefas mais difíceis, de acordo com o professor Shi Yong, director do laboratório de big data e gerenciamento de conhecimento da Academia Chinesa de Ciências, que é o principal cientista do projecto.

“O sistema pode substituir os promotores no processo de tomada de decisão até certo ponto”, disse Shi e os seus colegas em um artigo publicado este mês na revista especializada Management Review.

A aplicação da tecnologia de IA na aplicação da lei tem aumentado em todo o mundo. Alguns promotores alemães usaram tecnologia de IA, como reconhecimento de imagem e análise forense digital, para aumentar a velocidade e a precisão do processamento de casos. Os promotores da China foram os primeiros a adotar quando começaram a usar IA em 2016. Muitos deles agora usam uma ferramenta de IA conhecida como System 206. A ferramenta pode avaliar a força das evidências, as condições para uma prisão e o quão perigoso um suspeito é considerado para o público.

MAIS: UNESCO adota primeira recomendação de ética da inteligência artificial

Mas todas as ferramentas de IA existentes têm um papel limitado, porque “elas não participam do processo de tomada de decisão de ações e sugestão de sentenças”, disseram Shi e colegas.

Tomar tais decisões exigiria que uma máquina identificasse e remova qualquer conteúdo de um arquivo de caso que seja irrelevante para um crime, sem remover as informações úteis. A máquina também precisaria converter a linguagem humana complexa e em constante mudança em um formato matemático ou geométrico padrão que um computador pudesse entender. As empresas chinesas de Internet desenvolveram ferramentas poderosas para o processamento de linguagem natural, mas a sua operação geralmente requer grandes computadores aos quais os promotores não têm acesso.

Algumas cidades chinesas usaram máquinas para monitorar círculos sociais de funcionários do governo e actividades para detectar corrupção, de acordo com pesquisadores envolvidos.

Muitos tribunais chineses têm usado a IA para ajudar os juízes a processar arquivos de casos e tomar decisões como aceitar ou rejeitar uma apelação. A maioria das prisões chinesas também adotou a tecnologia de IA para rastrear o estado físico e mental dos prisioneiros, com o objectivo de reduzir a violência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui