Como navegar na Internet em segurança? Um guia para tornar o seu ano mais seguro

2781

A Internet tornou-se uma parte fundamental das nossas vidas: trabalho, entretenimento, informação, educação são já uma parte essencial desta rede e é por isso que é essencial maximizar as medidas de segurança. A Check Point Software preparou um pequeno guia para se proteger enquanto navega na internet. Onde existem mais de 5 mil milhões de utilizadores a nível mundial.

A nível global, os utilizadores da Internet, que atualmente representam 62,5% da população mundial, segundo um estudo da We Are Social and Hootsuite Mais de 5 mil milhões de pessoas utilizam agora a Internet. Especificamente, na América do Norte ou na Europa Ocidental, a penetração desta tecnologia excede 95%. Em Angola a taxa de utilizadores com internet é de 23%.

Embora estes dados sejam encorajadores, uma vez que dão a mais pessoas acesso ao conhecimento, entretenimento e novas formas de trabalho, também têm um lado negativo, porque com mais pessoas ligadas à Internet, quanto maior for a superfície de ataque para os cibercriminosos. Estamos numa altura em que os perigos na Internet continuam a aumentar; de acordo com os nossos dados, o segundo trimestre de 2022 registou um aumento de 27% em ciberataques do que o mesmo período do ano anterior. Problemas como phishing, ransomware, ataques DDoS e violações de dados estão na ordem do dia.

Por isso, a Check Point Software partilha as 10 dicas essenciais que cada utilizador da Internet deve saber para uma navegação segura na Internet:

  • Não confie apenas nos browsers para o proteger de sites maliciosos: os browsers por si só não o protegem de todos os perigos cibernéticos na Internet. É por isso que deve ter cuidado e andar com cuidado quando navega na Internet. O perigo pode ser encontrado numa plataforma de streaming onde está a assistir a uma série ou num site de comércio eletrónico.
  • Não reutilize as palavras-passe: este é um conselho simples, mas eficaz. Ter as mesmas palavras-passe em todas as aplicações e websites é um dos erros mais básicos e perigosos, basta um cibercriminosos quebrar ou roubar um deles para poder aceder a todos os outros e ter acesso a todos os dados pessoais dos diferentes sites.
  • Mantenha o browser atualizado: Para manter um computador seguro, é muito importante manter o software atualizado, uma vez que corrigem falhas de segurança que podem levar a ciberataques.
  • Descativar o formulário de preenchimento automático ou a função de lembrete da palavra-passe: pode parecer que esta opção é conveniente e facilita as atividades quotidianas, mas há poucas ações que representem um risco maior.
  • A utilização de um software antivírus e a verificação de ficheiros antes de os descarregar: esta proteção é essencial porque, apesar de tomar todas as medidas apropriadas, um ficheiro malicioso pode sempre escapar devido a erro humano.
  • Usar HTTPS: páginas web que começam com estas letras têm um Certificado SSL e cumprem as normas de segurança. Mantém a ligação à Internet segura e protege a informação enviada entre dois sistemas.
  • Rever regularmente extratos bancários: é cada vez mais comum que, uma pessoa ou o seu banco seja, vítima de um ciberataque. Se isto acontecer, é provável que os atacantes tenham obtido as palavras-passe ou dados de um utilizador. Uma vez obtidos, podem aceder a uma conta e fazer compras com ela ou vender as credenciais através da Darknet.
  • Evitar redes Wi-Fi públicas ou gratuitas: estes tipos de redes não têm qualquer tipo de proteção e qualquer pessoa pode ligar-se a elas, mesmo um cibercriminoso.
  • Ler as políticas de privacidade: é verdade que pode ser aborrecido e pesado, mas todo o conteúdo relacionado com o facto do que as empresas poderão fazer com os nossos dados está escrito nas suas políticas ou contratos e é um grande erro não ser informado; de onde serão armazenados, para que uso terão e se são comerciais ou não e para que fins os recolhem.
  • Ativar o bloqueio de pop-ups: há muitos websites e aplicações que lhe bombardeiam com anúncios quando os acede. A grande maioria deles são esquemas cibernéticos, e com a simples instalação de um bloqueador deixarão de aparecer no dispositivo, evitando assim um grande número de perigos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui