Consórcio americano quer implementar cirurgia robótica no país

350

A empresa norte-americana AdventHealth quer implementar o método de cirurgia robótica no país, contribuindo assim no processo de melhoria do Sistema Nacional de Saúde (SNS).

A intenção foi manifestada pelo especialista do consórcio na área, Kenneth Palmer, no final de uma audiência com o Presidente da República, João Lourenço, que incluiu ainda uma equipa de avaliação constituída por especialistas em cirurgia robótica, assegurando que o país dispõe de condições para implementar este serviço médico.

“Nos últimos três dias, nós visitamos vários hospitais, nomeadamente o de Viana, de Caxito, de Cabinda e o Complexo Cardeal Dom Alexandre do Nascimento, e creditamos que, de acordo com aquilo que nós vimos, Angola tem capacidade para implementar um programa de cirurgia robótica”, disse o responsável no final da audiência.

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, também presente na audiência, fez saber que a implementação deste serviço médico no país está para breve. Ao intervir no seminário sobre cirurgia cardíaca, ministrado por esta equipa americana, terça-feira, no Complexo Hospitalar de Doenças Cardio-Pulmonares Cardeal Dom Alexandre do Nascimento, considerou a aposta uma mais-valia para o Sistema Nacional de Saúde. A cirurgia robótica proporciona uma resposta mais moderna aos pacientes de Urologia, Ginecologia, Cirurgia Geral, Tórax e Cirurgia Cardíaca.

A cirurgia robótica ou cirurgia robô-assistida é um tipo de cirurgia onde o médico manipula um robot, que faz as incisões e recessões, através de um console joystick. Este tipo de cirurgia foi desenvolvido tanto para melhorar a capacidade dos cirurgiões, realizando cirurgias abertas, quanto para minimizar o impacto em cirurgias minimamente invasivas. Os Estados Unidos possuem, atualmente, mais de 2.800 robôs cirúrgicos em atividade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui