CPLP debate em fórum as políticas e estratégias do livro na era digital

0
414

Especialistas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa(CPLP) debateram recentemente as “Políticas e Estratégias de Promoção do Livro na Era Digital”, evento esse veio no objectivo de promover os livros e os hábitos de leitura, visto que os mesmo continuam sendo uma prioridade para qualquer Estado que pretende atingir o crescimento e desenvolvimento económico e cultural.

A reunião que consistiu em um fórum virtual, e segundo o editor literário Arlindo Isabel, um dos organizadores, frisa que os os avanços da técnica e tecnologia proporcionam ao mercado editorial um conjunto de transformações que melhoram a produção dos livros quanto a impressão e acabamento, bem como a qualidade técnica e estética no designer gráfico.

Falando estritamente de Angola, o editor diz que a promoção do livro acaba por se reflectir  no índice de compra e de leitura de livros físicos, o acesso aos meios de comunicação,  internet, mediatecas e bibliotecas públicas, interesse nas redes sociais dos potenciais leitores, assim como os custos editoriais que determinam o preço dos livros.

Para o país, os desafios e oportunidades geraram avanços da técnica e tecnologia sobre o processo de divulgação e venda de livros, com a criação e gestão de sites, páginas e contas nas redes sociais, melhoria da segurança e preservação dos direitos de autor“, salienta Arlindo Isabel.

MAIS: Advogados dos países lusófonos criam uma plataforma digital conjunta: OneLegal

Sobre a facilidade de distribuição digital e por encomenda(físico), o também escritor acrescenta que os avanços da tecnologia têm desafiado e dando oportunidade de disponibilizar as obras para o mundo, eliminando os custos de impressão e a redução de custos de distribuição.

Por outro lado, o presidente da organização juvenil da CPLP e que também esteve presente no fórum digital, Pedro Okomo, sublinha que os países africanos da CPLP devem criar condições para facilitar o acesso a internet, realidade diferente dos países como o Brasil e Portugal.

Para muitos cidadãos dos países africanos, a internet ainda constitui um  privilegio”, ressaltou.

De informar que esse fórum virtual aconteceu na capital do país, Luanda, e se enquadrou na última reunião dos ministros da cultura da CPLP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui