Ericsson afirma que a demanda por dados em África continua a aumentar

0
1045

A África tornou-se lar de mais de um bilhão de pessoas e espera-se que a população cresça nos próximos anos. O sector da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é essencial para o desenvolvimento da África.

A implantação adequada de serviços de TIC e conectividade digital desempenhará um papel crucial no continente para alcançar a sustentabilidade económica. A previsão é que o tráfego de dados móveis em África Subsaariana cresça 12 vezes mais que os números actuais, com o tráfego total a aumentar de 0,33 Exabytes (EB) por mês para 4EB até 2025. Enquanto isso, o tráfego médio por smartphone deve atingir 7,1GB durante o período de previsão, de acordo com o Ericsson Mobility Report.

Os principais drivers serão a ampla cobertura da rede e a redução dos preços de dispositivos e serviços. Além disso, impulsionado pelo rápido aumento no acesso ao conteúdo de vídeo relevante, com novos prestadores de serviços que fornecem e agregam conteúdo local encontrando sucesso inicial em mercados maiores.

Os factores de condução por trás do crescimento das assinaturas de banda larga móvel incluem uma população jovem e crescente com habilidades digitais crescentes. A queda nos preços dos dados e o aumento da acessibilidade dos smartphones devido aos preços mais baixos também estão a impulsionar o crescimento.

O aumento do tráfego de dados móveis em África está a levar as operadoras a olhar para oportunidades para optimizar as suas capacidades de rede, incluindo a capacidade complementar via redes Wi-Fi.

Assim, as redes móveis e fixas tornaram-se componentes-chave da infraestrutura nacional crítica em África. Na África Subsaariana, a LTE representou cerca de 11% das assinaturas em 2019. Durante o período de previsão, prevê-se que as assinaturas de banda larga móvel aumentem, atinjam 72% das assinaturas móveis. A participação da LTE atingirá cerca de 30% ao final do período de previsão, e as assinaturas de LTE devem triplicar, passando de 90 milhões em 2019 para 270 milhões em 2025.

No entanto, existem quatro requisitos fundamentais a serem abordados para estabelecer a ligação entre a penetração da banda larga e o crescimento económico:

  1.  Banda larga deve atingir uma massa crítica de cidadãos de um país;
  2.  O acesso à banda larga deve ser acessível;
  3.  As habilidades do lado da demanda devem ser desenvolvidas para optimizar os serviços de banda larga para uso pessoal e empresarial;
  4. As habilidades do lado da oferta precisam ser desenvolvidas para explorar o potencial inovador da banda larga.

A organização internacional GSMA estimou que, um aumento na penetração de dados móveis pode estar ligado a um aumento no crescimento anual do PIB de um mínimo de 0,5%. Como a conectividade sem fio permite que os negócios sejam feitos em movimento, ele permite que informações e serviços sejam acessíveis em qualquer lugar e criará novos serviços e indústrias.

Afirma-se que a indústria móvel em África é um dos principais contribuintes para a economia de um país e possibilita uma nova actividade económica em outros sectores com a adoção de Internet das Coisas (IoT).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here