Google vai abrir um centro de desenvolvimento no Quénia

708

O Google anunciou na terça-feira(19) que está a investir em um centro de desenvolvimento de produtos no Quênia como parte do seu investimento de USD 1 bilhão em África nos próximos cinco anos.

O centro ajudará a criar produtos transformadores, oferecerá serviços para pessoas em África e oferecerá oportunidades de trabalho “para engenheiros visionários, gerentes de produto, designers de UX e pesquisadores para estabelecer as bases para um crescimento significativo nos próximos anos”.

A gigante empresa de tecnologia também apontou que o desenvolvimento aumentará o acesso à internet barata e rápida, apoiará empreendedores locais e PMEs e ajudará organizações sem fins lucrativos.

A missão do Google em África é tornar a Internet útil para os africanos e fazer parceria com governos, formuladores de políticas, educadores, empresários e empresas africanas para moldar a próxima onda de inovação em África”, disse a vice-presidente de produtos do Google, Suzanne Frey.

MAIS: Quénia vai implementar 100.000 Kms de infraestrutura de fibra óptica em todo o país

Hoje estou animada para dar as boas-vindas a todos os africanos apaixonados por melhorar a experiência digital dos usuários africanos, criando produtos melhores para se candidatar às vagas abertas em nosso primeiro centro de desenvolvimento de produtos em África”, acrescentou.

A grande empresa de tecnologia abriu recentemente um centro de inteligência artificial no Gana, que Frey diz já estar a contratar engenheiros, gerentes de produto, designers de experiência do usuário e pesquisadores para trabalhar no novo centro.

O potencial para a África se tornar uma economia digital líder está no horizonte e o Google está comprometido em acelerar a transformação digital de África por meio do capital humano e permitir soluções lideradas por africanos para problemas africanos e globais por meio de melhores produtos”, disse Nitin Gajria, director administrativo do Google para África.

O investimento do Google ocorre depois que a Microsoft revelou um escritório e laboratórios de USD 5,2 milhões para o seu principal centro de engenharia, o Centro de Desenvolvimento Africano (ADC), após três anos de operação no Quénia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui