Com lançamento do Angosat, MTTI garante melhorias para as telecomunicações em Angola

1794

Angosat

O Angosat 1 é um satélite de comunicação geoestacionário angolano que se encontra em construção pela empresa russa RKK Energia. Este será operado pela Angosat. O satélite será baseado na plataforma USP Bus e sua expectativa de vida útil será de quinze anos.

O embaixador da Rússia em Angola, Dmitri Lobach, disse durante abertura do 3º aniversário da implementação do projecto Angosat-1, que o satélite oferecerá a Angola a oportunidade de demonstrar, uma vez mais, que é uma referência internacional capaz de ajudar outros países na busca da paz e segurança, bem como também dominar e desfrutar os seus benefícios nas primeiras filas dos estados africanos. Um projecto que vai dotar o país com vantagens extraordinárias nos termos das telecomunicações modernas e altas tecnologias cósmica.

O Angosat 1 será o primeiro satélite de comunicações de Angola. O contrato foi assinado pelas partes russas e angolanas no ano de 2009. Nos anos seguintes, ambas as partes realizaram um trabalho em conjunto para organizar o financiamento do projeto, que tornou possível proceder à sua aplicação prática. O trabalho sobre o satélite começou no final de 2012.

O diplomata referiu ainda que, o projecto, sem exagerar, representa um marco histórico para Angola visto que sua implementação contribuirá para que o país suba a um novo patamar técnico e científico. Acrescentou estar confiante que a implementação bem-sucedida vai impulsionar a realização das outras obras conjuntas de alta tecnologia.

Já o ministro das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, afirmou que a aposta na agricultura, no quadro do programa da diversificação da economia, pressupõe a construção de mais satélites que vão permitir o controlo do tempo e do clima.

 José Carvalho da Rocha, disse que o projecto Angosat formou 45 especialistas em tecnologias espaciais na Rússia, país responsável pela construção do satélite que entra em órbita no próximo ano.
“ Vamos continuar a formar especialistas angolanos dentro do nosso programa espacial nacional”.
O Angosat vai ter ainda uma capacidade convencional equivalente a 44 transponderes de 36 MHz, cuja capacidade de cobertura abrange para além de Angola, toda África e parte da Europa. O projecto também vai apoiar a distribuição dos serviços de telecomunicações, como televisão e internet em todo o território nacional, bem como contribuir para a inclusão digital e a coesão de todos os angolanos. O Angosat vai igualmente contribuir para a criação de competências nacionais no ramo da engenharia e tecnologia espacial.