Moçambique: ENI forma PMEs nacionais em empreendedorismo digital

1634

Mais de vinte e cinco Pequenas e Médias Empresas (PME) terminaram o primeiro ciclo de formação e apoio ao empreendedorismo digital, denominado iCreate, patrocinado pela Eni Rovuma Basin, em convénio com a Área 4 e a Incubadora de Negócios do Standard Bank.

Segundo o comunicado de uma fonte da Eni, falando para o Jornal Notícias, esse programa  foi criado tendo como base o plano de conteúdo local do projecto Coral do Sul, com o objectivo de fortalecer as capacidades das PMEs já consolidadas no mercado moçambicano, e tornar as mesmas mais competitivas e sustentáveis a longo prazo.

O iCreate teve a duração de 12 semanas, isto é, de 30 de Setembro a 15 de Dezembro, e os promotores do programa pensaram na criação do mesmo tendo em conta os desafios e as necessidades que muitas PMEs de Moçambique têm passado, face às incertezas geradas pela actual conjuntura económica.

Ainda falando sobre o iCreate, de referir que ele foi dividido em três fases e foi composto por sessões de aconselhamento individuais conduzidas por um consultor de negócios certificado pela Growth wheel, onde as empresas seleccionadas tiveram a oportunidade de fazer uma avaliação de 360° da sua estratégia de negócios.

MAIS: Moçambique: Autoridade Tributária vai começar a cobrar as transações digitais

De informar ainda, que o programa contou também com sete workshops, com o objectivo de ajudar os pequenos empresários a identificarem oportunidades para promover mudanças nos seus negócios e onze “masterclass”, que cobriram temas como mercado digital, saúde, segurança e meio ambiente, contratos e aquisições, acesso a financiamento e muito mais.

Falando aos jornalistas, o Director-Geral da Eni Rovuma Basin, Giorgio Vicini, informou sobre a importância de apoiar o desenvolvimento das PMEs, destacando que os “parceiros da Área 4 estão totalmente comprometidos com o desenvolvimento do conteúdo local” .

este programa é parte dos nossos esfoços para melhorar as capacidades das PMEs moçambicanas, por forma a permitir-lhes uma participação mais activa no desenvolvimento económico do país” acrescentou o Gestor.

Por fim, as PMEs que participaram no programa consideraram o mesmo como uma mais-valia para os seus negócios

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui